Em uma Copa América de Basquete marcada pelas surpresas, México e Porto Rico mostraram porquê chegaram à final nesta quarta-feira, e fizeram um jogo emocionante na briga pelo título. No final, melhor para os mexicanos, grande zebras do torneio, que venceram por 91 a 89 e ficaram com o título na Venezuela.

Este foi o primeiro título do México na Copa América de Basquete. O time, comandado pelo ala/pivô Gustavo Ayón, que atuará na próxima temporada da NBA pelo Atlanta Hawks, foi passando pela competição com resultados expressivos como a vitória sobre a Argentina na semifinal, e levantou o troféu diante de um time de Porto Rico que conta com jogadores mais famosos como Renaldo Balkman, JJ Barea e Carlos Arroyo.

Nesta quarta-feira, o México começou muito melhor que Porto Rico e abriu 26 a 18 no primeiro quarto com grande atuação de Gustavo Ayón, que terminou o primeiro tempo com 14 pontos. No segundo período, os porto-riquenhos equilibraram, abusaram dos arremessos de três pontos e diminuíram a diferença para três pontos: 48 a 45 para os mexicanos.

O segundo tempo foi o inverso. Porto Rico virou e disparou no marcador com JJ Barea como maestro, mas no último quarto foi o México que reagiu, viu o ala Jovan Harris entrar no jogo, e empatou. Daí para frente as equipes se alternaram no placar.

A 15 segundos para o fim e o México vencendo por um ponto, Renaldo Balkman conseguiu uma incrível roubada de bola para os porto-riquenhos. Mas aí Arroyo errou um passe e colocou o título nas mãos dos mexicanos. A nova reviravolta aconteceu quando Stoll errou um lance livre e deixou a diferença em dois pontos, só que Holland errou o último arremesso de três no estouro do cronômetro.

Além dos finalistas México e Porto Rico, puderam comemorar a classificação para o Mundial da Espanha, no ano que vem, Argentina e República Dominicana. Vale lembrar que o Brasil fez campanha pífia, caiu ainda na primeira fase após derrotas para Porto Rico, Canadá, Uruguai e Jamaica, e agora depende de um convite da Federação Internacional de Basquete (FIBA) para ir ao Mundial.