O juiz espanhol Baltasar Garzón enviou à Justiça alemã a transcrição de interceptações de conversas telefônicas de membros da máfia russa das quais surgiu a suspeita de uma suposta compra de uma partida da semifinal da Copa da Uefa disputada pelo Zenit de São Petersburgo e o Bayern de Munique, vencida por 4-0 pela equipe russa.

Tais informações surgiram em meio a uma série de interceptações de conversas telefônicas de cidadãos russos realizada pela polícia espanhola como parte da chamada Operação Troika, contra o crime organizado. Segundo o jornal espanhol El País, Guenadis Petrov, um dos líderes máximos da organização criminal Tambobskaya – com sede em São Petersburgo -, preso em junho passado em Palma de Maiorca, durante uma conversa telefônica com outro membro da máfia teria comemorado ao telefone uma suposta compra da partida por “50 milhões” (sem especificar qual moeda).

Já segundo informações do jornal ABC, os dois teriam dito que gastaram entre 20 e 40 milhões de euros para comprar tanto a semifinal quanto a final, disputada contra o Glasgow Rangers e mais uma vez vencida pelo Zenit.
O ABC afirma que os investigadores espanhóis não conseguiram reunir provas de uma possível fraude esportiva.