O Campeonato Paranaense 2012 pode, enfim, ter sua tabela de jogos divulgada. Hoje é a primeira data limite para que a Federação Paranaense de Futebol lance oficialmente os jogos, uma vez que o anúncio precisa ser feita 60 dias antes da abertura da competição. Caso seja adiado, o torneio começará automaticamente no dia 22.

A dúvida quanto ao começo do Estadual se dá pelo aguardo da presença ou não do Coritiba na Copa Libertadores. Inicialmente, a primeira rodada estava marcada para o dia 18, mas, caso o Coxa dispute o torneio continental, o pontapé será dado no dia 22.

Existe uma possibilidade de que a tabela seja divulgada hoje, mas com a primeira rodada marcada para o dia 22, para evitar um conflito de datas, uma vez que o Alviverde ainda está na briga pela última vaga para a Libertadores.

Taxas

O que já está definido para o Paranaense são os valores que os clubes terão que bancar para disputar a competição. Os times terão que tirar o dinheiro do bolso para participar do Estadual. A começar pela taxa de alvará de funcionamento. Caso o valor seja depositado até o dia de 13 de janeiro, o custo sairá por R$ 2 mil. Depois desta data, o preço subirá para R$ 4 mil. Além disso, para cada jogador registrado, será necessário pagar à FPF R$ 200. Se o reforço vier de fora do Paraná, mais R$ 600.

Ou seja, em um elenco médio, com 25 jogadores, sendo dez vindo de fora do estado, a equipe terá uma despesa mínima de R$ 11 mil, podendo aumentar com contratações ao longo do torneio ou com prorrogação de contratos (R$ 200). Sem falar em taxas mínimas, que variam desde um simples xerox (R$ 0,50), até recursos administrativos à assembleia geral (R$ 5 mil).

Confirmado

Conforme era esperado, o julgamento do caso Adriano, ex-jogador do Rio Branco, foi confirmado para o próximo dia 22. A sessão será realizada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) às 8h30, na Expo Unimed, na Universidade Positivo. O caso fará parte da 21.ª Conferência Nacional dos Advogados e, por este motivo, será realizado em Curitiba.

O caso, que começou quando o jogador foi registrado com um nome homônimo, já vem se arrastando há meses e ainda pode voltar ao TJD-PR (Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná) uma vez que o Leão da Estradinha entrou com um recurso, alegando impedimento da defesa na sessão que tirou os pontos do clube, rebaixando-o para a Segunda Divisão e mantendo o Tricolor na elite.