O técnico da seleção da Alemanha, Joachim Löw, minimizou neste domingo a importância de o atacante Miroslav Klose quebrar o recorde de artilharia em Copas do Mundo. Em entrevista à imprensa na Arena Fonte Nova, em Salvador, Löw elogiou a importância histórica do centroavante, mas ressaltou que a possibilidade de a marca ser alcançada neste Mundial não está entre as prioridades da Alemanha.

“Eu ficaria muito feliz por ele, como um jogador, se ele fosse atingir esta marca histórica porque ele esteve presente em várias Copas do Mundo. Mas como treinador, essas estatísticas são secundárias”, disse o técnico. “Se Miroslav vai jogar na equipe titular ou como um substituto, ele é muito importante para a equipe. É um jogador que é sempre um modelo dentro e fora do campo”, enfatizou.

Klose tem 36 anos de idade e, provavelmente, disputará a sua última Copa do Mundo. Com 14 gols marcados em três Mundiais, está perto de igualar o recorde de Ronaldo, do Brasil, que tem 15. Se fizer dois gols na Copa de 2014, entraria para a história como o maior artilheiro de todos os tempos.

A despeito de sua importância na história da seleção alemã, Klose não tem sua titularidade garantida porque Thomas Mueller é o favorito para liderar o ataque da seleção europeia. Com 24 anos, além da juventude, conta o fato mais recente de ter sido o artilheiro da Copa de 2010, na África do Sul, ao lado de David Villa (Espanha), Wesley Sneijder (Holanda) e Diego Forlán (Uruguai), com 5 gols marcados. Na mesma competição, Klose fez quatro gols e ficou com a vice-artilharia.