Próximo da estreia do Sampaio Corrêa na Série B do Campeonato Brasileiro, o técnico Flávio Araújo revela que tem dois objetivos na disputa da competição. “Primeiramente, vamos tentar nos manter na Segundona. Depois, brigar pelo acesso para a Série A de 2015, para continuar a campanha vitoriosa, que começou com a conquista da Série D de 2012”, projeta.

Na primeira fase, antes da paralisação para a Copa do Mundo, o Sampaio realizará 10 jogos, sendo seis em casa e quatro fora. O treinador projeta fechar esses jogos conquistando entre 23 e 25 pontos. Araújo dá a receita para o Sampaio buscar uma das quatro vagas para subir para a Série A:“Teremos de brigar por um aproveitamento entre 70% e 75%. Precisaremos imprimir um ritmo forte para chegar aos 75%. Com esse percentual, vamos estar muito perto da meta de brigar pelo acesso. Para isso, é fundamental vencer os jogos em casa e pontuar fora. Fazer o dever de casa é primordial. Sempre foi importante pela briga direta, pelas metas traçadas. Vamos tentar fazer dessa maneira”, pontuou.

Flávio Araújo disse que, sob seu comando, o Sampaio é um time motivado para as competições nacionais. “O foco é outro. É o que sempre falo para os atletas. Quantos jogadores e técnicos não gostariam de estar em nosso lugar. Temos de nos concentrar para alcançar as vitórias. Lembro a todos que a Série B é a segunda competição com maior visibilidade nacional. A receita é jogar com vontade. Precisamos manter nossa autoestima para disputar com chance de alcançar as metas que traçamos”, ressaltou.

Nervosismo

Flávio Araújo admite que toda estreia, em qualquer campeonato, provoca nervosismo. “Precisamos manter a tranquilidade. É isso que passamos ao atletas nos treinamentos. Nossa recomendação é para que eles tenham confiança, coragem e determinação”, disse.

O treinador do Sampaio tem estudado o Paraná, seu adversário de depois de amanhã. “O Paraná passou por mudanças. Trocou a comissão técnica, contratou outros jogadores. Na Copa do Brasil, já se classificou para a segunda fase, na qual enfrentará a Ponte Preta. É um time que tem como ponto forte as bolas aéreas, porque, além do tamanho, Giancarlo é um grande cabeceador. Tem jogadores rápidos pelos lados, tem Guerreiro e Paulinho Oliveira, enfim, tem uma boa formação. Sabemos disso e vamos ter de anular os pontos fortes dele”, finalizou.