O jogo que classificou o Brasil para a decisão do Mundial Sub-20 acabou ficando marcado pela alta produção do setor ofensivo, afinal a seleção goleou Senegal por 5 a 0, nesta quarta-feira, em Christchurch, pelas semifinais. Mas o técnico Rogério Micale optou por também destacar o bom funcionamento do sistema defensivo, lembrando que o time não sofreu gols nas últimas quatro partidas.

“Nosso sistema defensivo começa lá na frente. Nossa zaga está sólida, mas porque os atacantes e meias estão marcando muito lá na frente também. Se um jogador lá da frente largar, acaba estourando lá atrás”, disse.

Micale teve pouco tempo para preparar a seleção, pois assumiu o comando da equipe já com a convocação realizada por Alexandre Gallo, que acabou sendo demitido. E o treinador evitou assumir os méritos da boa campanha brasileira no Mundial Sub-20.

“É a qualidade do jogador brasileiro. Nós nunca perdemos isso, qualidade na mão de obra. Eu não adicionei muita coisa. O que eles estão provando neste Mundial é que o jogador brasileiro ainda merece muito respeito”, comentou.

No início do ano, a seleção teve muita dificuldade para se classificar ao Mundial, tanto que foi apenas a quarta colocada no Campeonato Sul-Americano – o torneio distribuía exatamente quatro vagas. Para Micale, o que melhorou na competição, realizada, na Nova Zelândia, foi o aspecto coletivo.

“O máximo que fiz aqui foi apresentar um conceito de jogo. Os jogadores compraram a ideia, entenderam o que estava sendo proposto e o resultado é isso que vocês estão vendo em campo. Não é à toa que é chamado de seleção. São jogadores muito bons”, explicou.

Dono de cinco títulos do Mundial Sub-20, conquistados em 1983, 1985, 1993, 2003 e 2011, a seleção igualará a Argentina como maior vencedor do torneio em caso de novo título. Para isso, o Brasil terá que superar a Sérvia no próximo sábado, às 2 horas (de Brasília), em Auckland.