Buenos Aires – O atacante Tevez, do West Ham, reafirmou ontem seu interesse em defender a seleção argentina. Ele apareceu de livre e espontânea vontade no CT da seleção, em Ezeiza, na região metropolitana de Buenos Aires, fez uma avaliação física e diz que está ?sempre pronto? para defender a equipe nacional, ?até como goleiro?, brincou.

?Eu sempre quero jogar pela seleção. Copa América, amistosos, tudo o que for possível?, disse o jogador, que espera ser convocado pelo técnico Alfio Basile para o amistoso contra a Suíça, no dia 2 de junho, na Basiléia, no qual o treinador deve definir o elenco que levará para a competição sul-americana.

A posição de Tevez é diferente das estrelas brasileiras, Kaká e Ronaldinho Gaúcho, que pediram dispensa da competição ao técnico Dunga alegando cansaço e necessidade de férias. O ex-corintiano, ao contrário, está disposto ?a qualquer sacrifício para jogar pela celeste e branca?, disse, um dia depois de ir a La Bombonera para acompanhar seu clube de origem, o Boca Juniors, no empate por 1 a 1 contra o Libertad, pela Libertadores, ao lado do ídolo Diego Maradona.

Vitrine

Um bom desempenho na Copa América, que será disputada de 26 de junho a 15 de julho, na Venezuela, pode ajudar Tevez no seu intento de arrumar ?um grande clube europeu? para a próxima temporada. Depois de uma difícil adaptação do West Ham, Tevez foi decisivo para ajudar a equipe a escapar do rebaixamento, com 7 gols nos últimos 10 jogos do Campeonato Inglês. Mas está pronto para alçar vôos altos.

?Os torcedores do West Ham foram incríveis comigo e nunca vou esquecê-los. Mas, se o clube quiser se dispor de mim, gostaria de jogar num grande clube?, afirmou o atacante, que teria uma proposta para jogar no Real Madrid. ?Até agora não sei de nada, apenas o que saiu nos jornais?, assegurou.