O Brasil encerrou neste domingo a sua participação no Mundial de Esportes Aquáticos com a segunda medalha conquistada por Thiago Pereira. O brasileiro, que já havia faturado o bronze nos 200 metros medley, repetiu o desempenho nos 400 metros medley ao completar a prova em 4min09s48, garantindo o terceiro lugar.

No primeiro nado, o borboleta, Thiago completou os 100 metros iniciais na quarta colocação. Depois, no costas, a posição foi mantida. Já no peito, o brasileiro subiu para o terceiro lugar. E ele manteve a posição ao nadar o estilo livre para conquistar a sua segunda medalha em Barcelona. Assim, voltou a obter um grande resultado nos 400 metros medley – no ano passado, faturou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres.

Thiago Pereira inicialmente havia desistido de participar da prova dos 400 metros medley, mas mudou de ideia após conversa com o técnico Alberto Silva. Neste domingo, ele participou das eliminatórias e se classificou para a final com o oitavo melhor tempo – 4min15s81. Mas ele melhorou muito o seu desempenho na final e garantiu o terceiro lugar.

E o brasileiro quase conquistou a medalha de prata, pois ficou a apenas 0s26 do norte-americano Chase Kalisz, que marcou o tempo de 4min09s22. A disputa dos 400 metros medley foi vencida pelo japonês Daiya Seto, com 4min08s69. Já o japonês Kosuke Hagino liderou quase toda a disputa, mas se cansou no final e terminou apenas na quinta colocação.

Já O brasileiro Daniel Orzechowski ficou na sexta posição na prova dos 50 metros costas, com o tempo de 24s87. A marca foi pior do que a registrada por ele nas semifinais, quando avançou na quarta posição, com 24s79, e também das eliminatórias, em que foi o mais rápido, com 24s67.

Assim, Orzechowski revelou certa decepção com o seu resultado. “Não foi para isso que vim até aqui, eu esperava um resultado melhor. Não tem muita explicação para dar em prova rápida, acabou sendo muito forte. Ficou um gostinho amargo, porque poderia ter feito melhor”, disse, em entrevista ao SporTV.

A prova foi vencida pelo francês Camille Lacourt, com a marca de 24s42. Já o segundo lugar ficou com o também francês Jeremy Stravius e o norte-americano Matt Gravers, que cronometraram 24s54.

Com esses resultados, o Brasil encerrou uma participação histórica no Mundial de Esportes Aquáticos, com a conquista de dez medalhas, sendo cinco na maratona aquática e cinco na natação. Foram três de ouro (Cesar Cielo, nos 50m borboleta e nos 50m livre, Poliana Okimoto, nos 10km da maratona aquática), duas pratas (Poliana, nos 5km da maratona, e Ana Marcela Cunha, nos 10km da maratona), e cinco bronzes (Ana Marcela, nos 5km da maratona, nos 5km da maratona por equipe, Felipe Lima, nos 100m peito, e Thiago, nos 200m medley e nos 400m medley).