Os dois representantes paranaenses começam hoje, em casa, a disputa do mata-mata que decide os 10 sobreviventes na dura Série D, a 4.ª divisão do futebol brasileiro. Em Curitiba, o Corinthians-PR desafia a Chapecoense às 15h, no Janguito Malucelli. A ideia do Timãozinho é abrir vantagem de preferência por mais de um gol, pois o jogo de volta promete ser duro – o time catarinense não perde há um ano e quatro meses em seu estádio.

O técnico Sandro Forner, que estreou domingo passado contra o Pelotas, praticamente definiu a escalação do Corinthians-PR: Colombo; Ricardo Ehle, Leandro e Peixoto; Paulinho, Ronaldo, Cícero, Dill e Renan; Cristiano e Diego Campos.
Vice-campeã catarinense, a Chapecoense, comandada pelo técnico Mauro Ovelha, não terá o zagueiro William Amaral, suspenso.

O Timãozinho tenta atrair torcedores ao estádio através de campanhas de divulgação – chamadas de incentivo foram levadas ao ar durante a semana nas rádios dos donos da equipe. É que a lotação no Ecoestádio não cresceu em relação aos tempos de J. Malucelli – o time tem a pior média de público da Série D, com 100 torcedores por partida. Os ingressos custam R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Se a previsão é de pouca gente no Janguitão, o Londrina espera apoio em peso nas arquibancadas do Estádio do Café contra o São José de Porto Alegre, às 16 horas.

Torcedores compareceram aos treinos durante a semana e até a Prefeitura local entrou na jogada, vendendo 2,5 mil ingressos a empresários da cidade. A ajuda da bilheteria é necessária até para superar os problemas financeiros da equipe. Durante a semana, jogadores do Tubarão promoveram a rifa de uma TV de plasma de 42 polegadas para custear a viagem a Porto Alegre, onde acontece o jogo de volta no próximo sábado.

O regulamento desta fase é igual ao da Copa do Brasil – se houver empate em saldo de gols na soma das duas partidas, valem os gols marcados na casa do adversário. Se persistir a igualdade, a vaga é decidida na cobrança de pênaltis.
Caso avancem, Londrina e Timãozinho se enfrentam em novo confronto eliminatório pela 3.ª fase.