Ontem, o Atlético confirmou o empréstimo do volante Bruno Silva, 26 anos, que vem da Ponte Preta. Também está quase fechado o acordo com o volante uruguaio Marcelo Palau, 27 anos, que virá do Libertad, do Paraguai. As contratações têm objetivo claro: melhorar o sistema defensivo do Rubro-Negro, que já sofreu 12 gols em cinco rodadas e é o pior do Campeonato Brasileiro.Trata-se de uma ironia, já que o elenco do Rubro-Negro está congestionado de de defensores. Dos 42 jogadores que integram o grupo comandado pelo técnico Ricardo Drubscky, 26 têm função defensiva, ou seja, 61,9%.

Não há garantias, porém, de que Bruno Silva e Palau possam resolver o problema atleticano. O mineiro Bruno Silva, por exemplo, deixou a Ponte Preta por causa de um relacionamento conturbado com o técnico Guto Ferreira, quando este dirigia a Macaca. Em entrevista para a Rádio Central, de Campinas, o jogador explicou a razão por ter acertado a saída do clube paulista. “Do nada, cheguei para treinar e ele (Guto Ferreira) me tirou, disse que não ia jogar e não falou mais comigo. Ficou então uma situação chata, nossa relação ficou desgastada. Então, para não atrapalhar o grupo, que é bastante unido e comprometido, achei melhor respirar novos ares”, disse.

Já o volante uruguaio Marcelo Palau é desconhecido do futebol brasileiro e deverá vir por empréstimo para o Rubro-Negro, com possibilidade de compra avaliada em R$ 2 milhões. O problema é que o treinador Ricardo Drubscky costuma escalar seu time no 4-4-2, ou seja, haverá a disputa de duas vagas para possíveis oito volantes no elenco. Ainda assim, bem menos concorrida do que a luta que há por vaga na zaga atleticana. No setor, nove brigam por duas posições, atualmente ocupadas por Manoel e Cléberson.