Os quatro principais clubes do Rio de Janeiro, Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo, descartaram oficialmente nesta quinta-feira, em entrevista coletiva em conjunto dos seus respectivos presidentes, a possibilidade de criar uma nova liga nacional de futebol, em substituição ao atual Campeonato Brasileiro.

As equipes afirmaram que seguem filiadas ao Clube dos 13. O rompimento é apenas na questão dos direitos de transmissão dos jogos pela televisão – os quatro times vão negociar conjuntamente, mas sem a participação da entidade.

No discurso oficial, os clubes cariocas afirmam que a decisão de romper com o Clube dos 13, tomada na última quarta, foi apenas comercial, e não política.

“As conversas continuam. Particularmente a minha ideia sempre foi a união, com os clubes defendendo os interesses dos clubes, e não a reboque de uma situação financeira. Nossa intenção não é se desfiliar do Clube dos 13, pois nós somos a essência dele”, afirmou Patrícia Amorim, presidente do Flamengo. “Os clubes querem participar desse processo (de negociação dos direitos de TV). Temos interesses individuais, mas vamos negociar juntos”, reforçou a dirigente.

O presidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, explicou a questão que envolve os quatro grandes do Rio. “Nossa ação não é política. Defendemos os interesses dos quatro grandes de uma forma inédita ou, se não inédita, há muito não vista. São pensamentos, atitudes e ações em comum. Não estávamos nos reunindo há meses ou semanas, mas conversamos entre nós e verificamos que as dúvidas eram as mesmas, assim como as preocupações eram iguais. Por ideia do Peter Siemsen (presidente do Fluminense), decidimos que não iríamos mais ficar à margem, e sim teríamos uma ação coordenada e conjunta em relação à negociação das transmissões dos jogos a partir do ano que vem. Por não concordar com a forma como a questão vinha sendo conduzida, não damos autorização ao Clube dos 13 a falar pelos quatro grandes nesta negociação”, esclareceu.

Peter Siemsen, por sua vez, destacou o objetivo da união dos clubes. “Nós sabemos a importância dessas quatro massas juntas no futebol brasileiro. E acho que é hora de a gente (os quatro grandes clubes do Rio) promover uma grande virada. E a gente sabe o quanto sofremos nos últimos anos (com a negociação dos direitos de TV). Queremos que essa valorização do Rio, que receberá jogos de Copa do Mundo e uma Olimpíada nos próximos anos, seja transportada para os clubes”, enfatizou.

Roberto Dinamite, presidente do Vasco, também enfatizou que a valorização do futebol carioca e dos seus clubes é o principal objetivo dessa união inédita dos quatro times do Rio, que “pegam carona” no fato de o Rio estar próximo de receber jogos de Copa do Mundo e uma Olimpíada. “Essa nossa união neste momento é em prol do que vai acontecer nos próximos anos, principalmente em 2014 e 2016. A nossa preocupação neste momento não é política. O que queremos é preservar o respeito pelo futebol carioca, que é uma potência dentro das forças brasileiras. Por isso estamos aqui reunidos, Vasco, Flamengo, Botafogo e Fluminense, para buscar o que é melhor para o futebol carioca, futebol brasileiro e para os nossos torcedores”, ressaltou.