Sem vencer, sem jogar bem e sem falar com a imprensa. Assim tem sido a rotina do Atlético no Campeonato Paranaense deste ano. Jogando fora de casa, o rubro-negro ficou apenas no empate com o Toledo, por 1 a 1. Em quatro jogos, o “ventania” (apelido este que ainda não foi justificado) somou apenas três pontos e nenhuma vitória. Frágil e desorganizado, o Atlético só não saiu derrotado porque faltou um pouco mais de tranquilidade para os atacantes do time do oeste paranaense, que desperdiçaram diversas oportunidades.

Desde o apito inicial até o final, futebol foi o que menos se viu ali. O Atlético, em particular, pouco criava e vivia a base de chutões para frente. Este era o “esquema tático” do rubro-negro. O Toledo, embora tivesse mais domínio e posse de bola, pouco criava e, quando chegava, ou esbarrava na afobação de seus jogadores ou nas boas intervenções do goleiro Santos, o destaque pelo lado atleticano.

Apesar da exibição ruim, o Atlético teve um lampejo de futebol em dois minutos, quando perdeu duas boas chances originadas em jogadas individuais. A primeira foi com Hernani, batendo na rede pelo lado de fora aos 35 minutos, e a segunda com Pablo, aos 36, em uma boa defesa do goleiro Ney.

Segundo tempo ligeiramente melhor

O Atlético até enganou o torcedor que acompanhava a partida no início do segundo tempo. Com a marcação adiantada e pressionando bastante o adversário, o rubro-negro fez diversas blitze. O gol estava bem maduro e não demorou a vir. Aos 8 minutos, após a cobrança de uma falta, o zagueiro Bruno Costa subiu junto com o defensor do Toledo Marcelo Guerreiro, que desviou contra o patrimônio e tirou o zero do placar.

Contudo, se o torcedor esperava que o Atlético fosse manter a pressão, acabou se decepcionando. Inexplicavelmente, a equipe recuou e começou a ceder espaços para os donos da casa, que voltou a tomar as ações da partida. Com uma sequência de boas jogadas, o Toledo só não chegou ao empate porque pegou o goleiro Santos em noite pra lá de inspirada.

Só que, aos 27 minutos, não teve jeito. Jales mandou de primeira e fez um belíssimo gol, encobrindo o goleiro Santos. O Toledo viraria a partida, mas o gol que Safira marcou estava em posição irregular. O Atlético ainda tentou tirar um coelho da cartola, mas não conseguiu mais pressionar o Toledo, que quase chegou ao segundo gol aos 47 minutos, em outro belo chute de Jales. Santos, mais uma vez, garantiu a igualdade.

Após o apito final, os jogadores do Atlético saíram rapidamente sem falar com a imprensa. Todavia, os poucos torcedores que acompanharam o jogo criticaram duramente o time.