O Toledo recomeça esta noite sua saga na Série C do Brasileiro. Após precisar garantir duas vezes a vaga na 2.ª fase, o time do Oeste dá a largada no Grupo 24, às 19h30, contra o Caxias, no interior do Rio Grande do Sul. O Porco é o único representante do Paraná que permanece na competição.

Superada toda a confusão do “caso Rafinha”, que levou à anulação da última rodada da 1.ª fase, o Toledo quer provar que não perdeu o foco na disputa. Missão complicada, já que o Caxias é apontado como um dos favoritos para obter o acesso à Série B.

Para encarar a pedreira gaúcha, o técnico Leandro Campos contará com as voltas dos meias Gilberto Flores e Ricardo Oliveira. Eles cumpriram suspensão no empate por 1 a 1 com o Marcílio Dias-SC, no último domingo.

O desfalque fica por conta do zagueiro Robson, expulso contra os catarinenses. Além, é claro, do volante Rafinha, eliminado do futebol pela Justiça Desportiva, pela suposta “marmelada” que levou à repetição do jogo contra o Marcílio.

O Caxias está cheio de problemas na zaga. Quatro jogadores da posição estão se recuperando de contusões: Fernando Lombardi, Cuca, Cris e Marília. Para complicar ainda mais, o artilheiro Marcos Denner sofreu um estiramento na coxa e também está fora do jogo. Desfalques que fizeram o técnico Gilson Kleina abrir mão do esquema tático 3-6-1 e adotar o 4-4-2.

Reforços

A diretoria do Porco continua investindo em reforços, para tentar brigar por um lugar na Segundona. Ontem, o time apresentou o zagueiro Ricardo Ehle, 24 anos, recém-dispensado do Paraná Clube, e o volante Marcelo Uberaba, 28, que veio do Volta Redonda-RJ.

Mordaça

Pivô de toda a confusão que levou a anulação da última rodada do Grupo 15, o volante Rafinha continua isolado. Ele não fala com a imprensa desde a polêmica entrevista em que admitiu ter “combinado” com os adversários o empate por 0 a 0 com Marcílio Dias, no dia 27 de julho.

Insatisfeita com a atuação da imprensa local no episódio, a direção do Toledo fechou as portas do clube. Ninguém pôde acompanhar os últimos treinos da equipe, nem falar com os jogadores.