Valquir Aureliano
 ?O Coxa me deu sorte?, brinca Gabrielly, já com a camisa oficial do Atlético, que ganhou na promoção da Tribuna, ao lado do irmão Kauê e a equipe de esportes do jornal.

Quer um presente melhor que vencer um clássico na casa do maior rival? Que tal ainda ganhar uma camisa oficial de seu time e escolher a manchete da Tribuna? Para a atleticana Gabrielly Ferreira Rodrigues, tudo isso virou verdade no último domingo.

Gabrielly foi a vencedora da promoção ?Sua Frase Vira Manchete? e comemorou a vitória no Atletiba com uma camisa novinha do Furacão. Autora da frase ?Furacão passeia e mantém tabu?, que estampou a primeira página da edição de ontem do caderno De Letra, ela veio à Redação da Tribuna para buscar seu prêmio.

O curioso é que, para ganhar o concurso, Gabrielly contou com a ajuda de um coxa-branca. Foi o irmão Kauê, torcedor do Cori, quem comprou a Tribuna no domingo e levou para casa os cupons. ?Ele foi ao mercado e encontrou o último jornal. Era cedo, por volta das 9h, mas já tinha esgotado tudo. Levamos sorte?, conta.

Ovelha rubro-negra de uma família alviverde, Gabrielly quase foi deixada de lado na hora de preencher os cupons. ?Nos reunimos para bolar as frases. Todos fizeram sobre o Coxa e só sobrou um para eu escrever a do Atlético?, revela.

Mais uma vez, o irmão deu uma força. ?O Coxa acabou ajudando de novo. Ela leu no encarte a história do tabu e juntou com algumas sugestões que dei para criar a manchete?, diz Kauê, que também teve a missão de depositar a frase que seria premiada na urna instalada no Couto Pereira.

Gabrielly não foi ao estádio. Ficou ouvindo o jogo pelo rádio, mas vibrou muito com o triunfo rubro-negro por 2 a 0. ?Mesmo com a vitória do Atlético, não esperava ganhar. Nunca havia ganho nada e por isso achava difícil. Foi uma surpresa muito grande ler ontem a minha frase na Tribuna?, comemora.

Ela ganhou ontem sua primeira camisa do Furacão, que, para a sorte dos irmãos coxas, ficará longe de casa. Gabrielly estuda pedagogia em São Paulo e ostentará a camisa rubro-negra na capital paulista. ?Só torço para que quando ela venha nos visitar, esqueça a camisa por lá?, brinca Kauê.

Gabrielly nem liga e só quer saber de comemorar. ?Foi muito bom escrever a frase, ganhar o Atletiba, e depois ler ela no jornal. É uma parceria muito interessante entre a Tribuna e o leitor?, elogia.