Nem grande festa, nem clima pesado. O Palmeiras fez uma festa bastante discreta no gramado do Pacaembu para comemorar, neste sábado, o título da Série B do Campeonato Brasileiro, após empate em 0 a 0 com o Boa, pela 36.ª rodada da competição. Nada de volta olímpica ou troféu improvisado. Quinze minutos após o apito final o estádio já estava vazio.

Como desde o começo do segundo tempo a vitória já estava garantida e nada indicava que o Palmeiras ficaria sem o título, a torcida (menos de 20 mil pessoas no total) diluiu a festa pelo segundo tempo e gritou “É campeão” quando Juninho fez o terceiro, aos 31 minutos.

Após o apito final, os jogadores se abraçaram e pularam, mas a festa não durou muito. Gilson Kleina foi ainda mais discreto, mas seguiu até o alambrado para comemorar com alguns torcedores, que demonstravam apoio a ele. A torcida mereceu uma faixa: “Obrigado pelo apoio incondicional”.

“Fomos um clube que valorizou as competições. Conquistamos a Série B com muito suor, muito sacrifício e a mobilização de todos. Foi com maestria que os jogadores fizeram isso, Eles representaram bem a camisa do Palmeiras. Trouxemos o gigante para a Série A. A missão foi nos dada, a missão foi cumprida”, comentou Kleina.

Autor do primeiro gol, Felipe Menezes exaltou a conquista. “Dever cumprido. A gente sabia que a Série B era dura, difícil. O torcedor está feliz, assim como a gente”, disse ele.