Renaldo estreou fazendo o que sabe, mas não foi suficiente pra garantir a terceira vitória consecutiva do Coxa.

Apesar da estréia do iluminado Renaldo, o Coritiba voltou a frustrar sua torcida. Mais de 27 mil coxas empurraram o time, que acabou ficando no empate por 2×2 com o São Caetano, sábado à tarde, no Couto Pereira. Melhor para o São Caetano, que se manteve na zona de classificação à Copa Sul-Americana.

Num jogo equilibrado, os dez minutos de superioridade não foram suficientes para anular a arapuca armada por Levir Culpi.

Renaldo e Dimba em campo era sinal de um jogo com muitos gols. Afinal, há dois anos, eles balançaram as redes 61 vezes e com um gol a mais, o atacante do São Caetano levou a melhor em 2003. Eram outros tempos. Dimba atuava pelo Goiás, Renaldo pelo Paraná. Na tarde de sábado, apenas a estrela de Renaldo brilhou. Foi uma partida de muita, mas muita marcação no meio-de-campo. As equipes, com esquemas táticos similares, não conseguiam criar espaços e o tempo foi passando sem que os goleiros fossem exigidos.

Aos poucos, a armadilha de Levir Culpi começou a surtir efeito. O São Caetano quase abriu o placar com Triguinho tirando uma de centroavante. O ala recebeu de Lúcio Flávio, se livrou de Rafinha e chutou para fora, cara a cara com Vizzotto. Era um sinal do que viria a seguir. O Coritiba errou no ataque e os volantes Pingo e Paulo Miranda saíram tabelando com extrema facilidade. Pingo driblou Flávio e se livrou de um agarrão de Marquinhos para tocar no canto esquerdo e abrir o placar: 1×0.

O quadro não se complicou ainda mais porque Vizzotto fez uma grande defesa numa finalização à queima-roupa de Dimba, aos 44 minutos. Cuca saiu inconformado com a passividade do time, que segundo ele ?aceitou a marcação?. Voltou para a fase final com duas alterações, com Jackson e Marcelo Peabiru entrando nas vagas de Capixaba e Marquinhos. Só que o ritmo do jogo pouco se alterou.

O Coritiba tinha o domínio territorial, mas só levantava bolas para as ações do goleiro Sílvio Luís e do trio de zagueiros do Azulão.

Foi então que a marca do artilheiro fez a diferença. Numa bola alçada por Vágner, Sílvio Luís falhou e Renaldo ficou com a sobra livre, para marcar seu primeiro gol com a camisa alviverde, aos 28 minutos. Com ânimo renovado, o Coritiba virou o placar. E mais uma vez com a participação direta de Renaldo. O centroavante passou por dois marcadores e rolou para Alcimar – que entrara um pouco antes – na área, que com um chute cruzado não deu a mínima chance ao goleiro do São Caetano. Renaldo só não fez mais um porque sua finalização desviou na zaga e saiu.

Só que o clube paulista recuperou o equilíbrio e, no final, chegou ao empate. No cruzamento de Alessandro, Jean recebeu livre para marcar, de cabeça, esfriando a galera, que já comemorava o que seria a terceira vitória consecutiva do time de Cuca. No fim: 2×2.

Coritiba deu muito espaço ao Azulão

Para o técnico Cuca, faltou maturidade ao seu time. O empenho no segundo tempo só não se traduziu em vitória devido aos deslizes de marcação nos minutos finais do jogo. ?Demos os contra-ataques para eles. Se a situação é inversa, no Anacleto Campanella, sabe quando o São Caetano nos daria esses espaços? Nunca?, disparou o treinador. Esse, na visão de Cuca, não foi o único deslize do Coritiba na partida.

O comportamento do time no primeiro tempo foi decepcionante. ?O time foi apático, aceitou a marcação e daí nada vai dar certo?, comentou. ?Que o Rafinha e o Ricardinho serão marcados, é certo. Não serve de desculpa?, disse. Para dar nova postura à equipe, Cuca voltou para o segundo tempo com Jackson e Marcelo Peabiru. ?A idéia foi usar dois atacantes de área, como pivôs, tendo sempre a jogada pelos lados. A etapa final foi toda nossa e poderíamos ter saído de campo ovacionados?, analisou.

Cuca reclamou da postura cautelosa do time, que na fase inicial ?atuou com medo?. ?Disse a eles (zagueiros e volantes) que avançassem. Avançamos e aí eles tiveram que correr atrás.?

CAMPEONATO BRASILEIRO
20ª RODADA
SÚMULA
Local: Couto Pereira (Curitiba).
Árbitro: Lourival Dias Lima Filho (BA).
Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha Matos (FIFA-BA) e Belmiro da Silva (BA).
Renda: R$ 155.535,50.
Público: 25.764 pagantes (27.735).
Gols: Pingo a 36 do 1º tempo. Renaldo a 28, Alcimar a 35 e Jean a 40 do 2º tempo.
Cartões amarelos: Vágner, Reginaldo Nascimento, Luís Carlos Capixaba, Caio e Flávio (Coritiba). Thiago, Paulo Miranda, Douglas e Edílson (São Caetano).
Expulsão: Gustavo a 44 do 2º tempo.

CORITIBA 2×2 SÃO CAETANO

CORITIBA
Vizzotto; Rafinha, Flávio, Vágner e Ricardinho; Reginaldo Nascimento, Rodrigo Mancha, Luís Carlos Capixaba (Marcelo Peabiru) e Marquinhos (Jackson); Caio (Alcimar) e Renaldo. Técnico: Cuca.

SÃO CAETANO
Sílvio Luís; Gustavo, Thiago e Douglas; Alessandro, Pingo, Paulo Miranda, Lúcio Flávio (Márcio Richads) e Triguinho; Edílson (Júlio César) e Dimba (Jean). Técnico: Levir Culpi.