A Brigada Militar (a polícia militar do Rio Grande do Sul) e a Polícia Rodoviária Federal prepararam uma megaoperação para evitar conflitos entre os torcedores do Boca Juniors e do Grêmio antes, durante e depois da decisão da Copa Libertadores, amanhã.

O clima é tenso porque algumas excursões de gremistas foram apedrejadas e até assaltadas em Buenos Aires, na quarta-feira da semana passada, e não falta quem proponha o revide, inclusive na comunidade de relacionamentos Orkut da internet.

Ao todo, cerca de mil policiais participarão da operação. O Grêmio entregou 2,7 mil ingressos ao Boca Juniors, mas a expectativa é de que 5 mil torcedores do clube argentino viagem à capital gaúcha em 30 ônibus locados, cinco vôos fretados e em ônibus de linha e vôos comerciais para tentar entrar no estádio.

Os torcedores que chegarem pela fronteira, em Uruguaiana, serão revistados na aduana e aconselhados a seguir em comboio. A Polícia Rodoviária será avisada para monitorar de seus postos todos os trechos da viagem dos cerca de 30 ônibus de argentinos esperados para a decisão.

Em Charqueadas, a 53 quilômetros de Porto Alegre, as excursões serão retidas. De lá serão escoltados pela Brigada Militar até o estádio Olímpico, mas divididos em grupos de dez ônibus a cada viagem.

Os torcedores que não tiverem ingressos devem ficar retidos e esperar pela volta de seus companheiros depois do jogo.