O Brasil deverá ter torcida contrária na estreia da Copa América, contra o Peru, neste domingo, na cidade de Temuco, na região sul do Chile. Os torcedores peruanos adquiriram grande parte dos 18.500 ingressos e representam a maioria absoluta nas proximidades do Estádio Germán Becker. A esperança da seleção é de que os chilenos torçam pelos brasileiros.

O pequeno interesse dos brasileiros pela partida esteve presente desde a venda de ingressos pela internet. Enquanto as entradas para a estreia da Argentina (empatou por 2 a 2 contra o Paraguai), da Colômbia e do Chile estavam esgotadas desde o início da semana, os brasileiros ainda podiam fazer a compra até quinta-feira.

O Chile utiliza um forte esquema de segurança semelhante ao utilizado pelo Brasil na Copa do Mundo de 2014. Barreiras policiais foram montadas em todo o perímetro do estádio, distantes cerca de um quilômetro das bilheterias. Para ultrapassar a barreira, o torcedor precisa mostrar seu ingresso. Quem não tem entrada, não entra. Os ingressos estão esgotados desde sexta-feira. Helicópteros também foram utilizados para monitorar a movimentação dos torcedores, algo raro nos jogos domésticos.

O principal obstáculo para os torcedores na entrada do estádio é a chuva. Como a conferência dos ingressos e documentação é lenta, as filas se alongam, provocando vaias a todo momento. A chuva também preocupa os administradores do estádio, que passou por uma reforma de US$ 4 milhões, mas não realizou nenhum evento-teste.