Aos gritos de “ô, o Furacão voltou”, a nação rubro-negra agradeceu aos jogadores pelo empenho e pela vitória conquistada contra o São Paulo, adversário que é malvisto pelos lados da Baixada desde a decisão da Libertadores de 2005.

Com os três pontos, o time paranaense demonstrou que está evoluindo e que o tropeço diante do Vitória foi bem assimilado. Segundo o treinador Antônio Lopes, a dedicação prevaleceu diante do São Paulo.

“Fizemos trinta minutos de excepcional futebol. O São Paulo não fez nada no começo do jogo. Só foi melhor nos 15 finais e dominou. Tivemos alguns problemas porque perdemos o meio-campo e erramos um pouco na marcação, deixando o Jorge Wagner e o Arouca jogar. Procuramos acertar no intervalo e não rifar tanto a bola. Isso foi acertado e a marcação melhorou. Todo o 2.º tempo foi do Atlético”, analisou o Delegado, considerando o resultado justo.

A presença e o apoio do torcedor foram apontados como fundamentais pelos jogadores para a conquista da vitória. “Quando a gente entra na Arena, sempre procura levar alegria aos torcedores. Sabemos da importância deles, que vieram em massa. O estádio estava muito bonito e isso nos ajudou no resultado”, resumiu Galatto. Para o próximo compromisso, o treinador perdeu dois atletas por cartões amarelos. O volante Valencia e o meia Paulo Baier terão que cumprir suspensão.