A decepção da torcida tricolor deu lugar à revolta ao final da partida de ontem. ?Vergonha?, gritou com força o público, ao ver seu time não ter forças para superar o aplicado Paranavaí.

Alguns mais exaltados xingaram como podiam quem descia aos vestiários – o técnico Zetti era o principal alvo dos insultos. Daniel Marques, Flávio e Everton foram alguns dos poupados pela torcida. Nem mesmo Dinelson, então ídolo tricolor, escapou das ofensas após sua segunda apresentação ruim consecutiva.

Com cara de fim de festa, o capitão Beto foi um dos poucos jogadores a falar. Mas mostrou espírito esportivo ao elogiar o campeão. ?Fizeram por merecer em campo. Parabéns à equipe deles?, disse o volante, com a taça de vice-campeão nas mãos.

Meia dúzia

Cerca de 30 minutos depois do jogo, o presidente José Carlos de Miranda foi pressionado por cerca de 15 paranistas ao descer dos camarotes das sociais – o principal pedido era a demissão de Zetti. Os seguranças do clube impediram qualquer aproximação do grupo. ?Foi a manifestação de uma meia dúzia. Acompanhamos o dia-a-dia e não é uma derrota que nos fará tomar medidas estabanadas?, garantiu o dirigente, confirmando a permanência do treinador no comando da equipe.

Levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima

O Paraná volta ao trabalho hoje. Tentando sacudir a poeira de ontem e, ainda, o rescaldo da partida de ida contra o Libertad, do Paraguai. ?Na segunda-feira (hoje) vamos reunir o grupo e voltar a focar na Libertadores. Mas agora estamos muito ressentidos pela derrota, a frustração de perder diante de nossa torcida foi imensa. Vamos assimilar primeiro para depois pensar em outra coisa?, disse Zetti, que em Assunção não contará com Neguete, expulso na derrota por 2 a 1 para os paraguaios.

Brasileirão

E depois da Libertadores já começa outro grande desafio – no próximo domingo o Tricolor volta à Vila Capanema para a estréia no Brasileirão, diante do Grêmio, que ontem confirmou o favoritismo e levantou o bicampeonato gaúcho. O presidente José Carlos de Miranda disse que o clube trará pelo menos um atacante e um meio-campista para o nacional. Já Zetti afirma que a equipe precisa de mais dois atacantes. Além destes reforços, o Tricolor já contratou para o Brasileiro o zagueiro Luís Henrique e o lateral Márcio Careca, que não estrearam, e o volante Adriano, que entrou no segundo tempo contra o Libertad.