O Paraná Clube busca em Minas Gerais o fôlego necessário para seguir vivo na briga pelo acesso dentro da Série B. Diante do Boa Esporte, que já não tem maiores ambições na competição, o Tricolor precisa voltar a vencer fora, após três rodadas. Jejum que é ainda maior, considerando-se apenas os jogos fora de casa. O último triunfo na condição de visitante aconteceu no final de setembro, quando o time de Dado Cavalcanti goleou o ASA por 4 x 1.

Por tudo isso, o representante paranaense sabe que entra em campo hoje às 21h50, no Dilzon Melo sem qualquer margem de erro. “Nossa cota de deslizes já se esgotou. Agora, é vencer ou vencer”, disse o meio-campista Paulinho Oliveira, que ganha nova oportunidade entre os titulares. Tendo feito bons jogos, invariavelmente entrando no segundo tempo, ele inicia apenas o seu segundo jogo com a camisa paranista. “Venho me esforçando muito e fico feliz pelo reconhecimento do Dado”, comentou. “Não é fácil você esperar trinta jogos para ser titular. Por isso, comemorei muito aquela vitória sobre o Bragantino, onde superei a falta de ritmo e fiquei em campo até o final”, lembrou.

Na visão de Paulinho Oliveira, o Paraná deve encarar o Boa como uma final, mantendo esse espírito do início ao fim. “Nós até fizemos bons jogos contra Atlético-GO, Joinville e Palmeiras. Mas, os resultados não vieram. Para piorar, levamos gols bobos e isso acaba comprometendo todo o trabalho”, reconheceu. Na busca pelo equilíbrio que embasou a campanha do time no primeiro turno, Dado Cavalcanti processou alguns ajustes no time. Com Paulinho Oliveira na vaga de Kayke, Lúcio Flávio poderá jogar mais centralizado, organizando o time ao lado de Ricardo Conceição.

Pelo menos foi isso que se viu no treino de ontem, no CT Urubola, na cidade de Elói Mendes-MG. “Taticamente, não houve uma grande mudança. Temos dois estilos de atuação bem definidos e todos os jogadores sabem o que devem fazer. É claro que com algumas peças trocadas há uma modificação técnica, pela característica de cada um”, analisou o capitão. Lúcio Flávio só chegou na concentração por volta das 15h, devido a problemas no aeroporto de Varginha. O jogador precisou seguir de carro de Campinas até o Sul de Minas. “Foi tudo bem. Imprevistos acontecem e estou pronto para ajudar”, disse o camisa 10, após participar normalmente de toda a atividade.

O Paraná, se vencer o Boa, tem grandes chances de voltar ao G4. Isso porque seus principais concorrentes Icasa, Avaí e Joinville também jogam fora de casa.

Boa Esporte

O Boa Esporte já está de olho em 2014. Após a derrota para o Icasa, o time mineiro admite que ficou impossível pensar no acesso.