A decisão é hoje. O técnico Wagner Velloso não quer nem saber se dentro de quatro dias o Paraná Clube estará em campo disputando o primeiro de dois clássicos que podem definir o Campeonato Estadual.

Para chegar a estes jogos com chances reais de “levantar o caneco”, o Tricolor precisa confirmar o serviço e vencer o Paranavaí, às 20h30, no Durival Britto. Esse foi o tema de uma longa conversa entre o treinador e o elenco, antes do treino de ontem à tarde.

“Não adianta ficar pensando lá na frente”, destacou Velloso. “O importante é que os resultados da rodada foram bons e agora temos que fazer a nossa parte para encostar nos líderes”, disse.

O técnico acredita na força do time jogando em casa. Os nossos números são positivos. Fizemos poucos gols nas últimas partidas, mas por circunstâncias dos jogos”, amenizou Velloso, sobre o fato do Paraná ter feito apenas um gol nesta fase final do campeonato. “Vejo um time bem equilibrado e que apesar de ser apontado como azarão, pode incomodar muita gente”.

Velloso não aceita comentários que colocam o Tricolor “correndo por fora” nesta briga pelo título. “Dependemos apenas de nossos resultados. E isso é um ponto decisivo”, afirma.  O técnico, com a força máxima em campo, acredita num resultado positivo e sem o “sofrimento” vivido contra o Cianorte.

“Naquele jogo, ficamos com um jogador a menos. E mesmo assim, fizemos um jogo controlado”, lembrou. “Até entendo que não sejamos vistos como favoritos, pois não temos ponto de bonificação. Mas podemos chegar.”

É com esse discurso que Velloso tenta contagiar o grupo e espera uma grande atuação, hoje. Para isso, promove as voltas de Rodolfo, Luís Henrique e Bruninho. A presença do meia, em especial, muda o perfil tático do time. É o jogador mais criativo do time e capaz de aumentar o ritmo ofensivo do Paraná.

“Ao contrário do último jogo, vamos colocar a bola no chão e tentar envolver o adversário”, disse Bruninho, que por conta de uma fadiga muscular não atuou contra o Nacional, na semana passada.

Bruninho e Lenílson, além dos alas, ficam responsáveis por municiar Wellington Silva, mais uma vez jogando como único atacante de referência do time. No treino de ontem, um problema de última hora pode impedir Velloso de escalar sua “equipe-base”.

O zagueiro João Paulo sofreu um trauma na perna esquerda e está em tratamento intensivo. Porém, a tendência é que Élton venha a ser confirmado no time, fazendo com que Leandro seja deslocado para o lado direito da zaga. “Não podemos nos descuidar da marcação. Mas, a estratégia é atacar o adversário desde o primeiro minuto”, arrematou o técnico paranista.