O Estadual 2010 começa para o Paraná Clube dentro de quatro dias. Mas, hoje, o torcedor tricolor já poderá ao menos ter uma noção do time que está sendo montado para esta temporada.

Ainda à procura de um meia-armador, o clube já contratou 11 reforços. Apostou firme nas aquisições de Luiz Henrique Camargo e Marcelo Toscano -revelações do ano passado – e ainda renovou contratos de Luís Henrique e João Paulo.

O novo grupo, agora sob a direção do mineiro Marcelo Oliveira, enfrenta hoje às 16h, o Joinville, no único teste de campo antes da estreia no campeonato estadual.

O treinador intensificou os trabalhos táticos desde o último sábado e aposta num 3-5-2 para fazer do Paraná um time competitivo e confiável, bem diferente do que se viu no ano passado.

“Este grupo é mais humilde que o de 2009, mas também tem mais força”, analisa o centroavante Wellington Silva, um dos poucos remanescentes da equipe que há pouco menos de um ano estreava na edição de 2009 do Estadual sendo goleado pelo J. Malucelli (hoje Corinthians-PR). “Tenho certeza que neste time, um vai correr pelo outro e vamos buscar nosso espaço na competição, mesmo correndo por fora, como dizem os especialistas”, disse o atacante, que mesmo contestado por muitos foi o artilheiro do Tricolor no ano passado, com somente onze gols.

Wellington Silva admite que o Atlético possa ser considerado favorito, pela base que já possui e por ser o único time do Estado na Série A. Mas, apressa-se em assegurar que essa condição é meramente teórica.

“Favoritismo só existe até entrar em campo. Depois, o que vale é a força de vontade, a superação. E, isso, o nosso time tem de sobra”, assegurou o atacante, considerando o Paraná um “time de operários”.

Jogadores como Marcelo Toscano, que virou referência pelo bom futebol na reta final da Série B, mas que manteve a mesma postura de quando “ralava” por um lugar no time.

“Ele cresceu muito na reta final. Aproveitou a chance e tenho certeza que tem ainda muito a produzir. Espero formar uma grande dupla com ele”, afirmou Wellington, indagado sobre a nova dupla de ataque preparada por Marcelo Oliveira. “É só um início de temporada e precisamos do apoio do nosso torcedor. Temos uma tabela interessante, mas para ela ser realmente boa temos que fazer a lição de casa. E, para vencer na Vila Capanema, contamos com o grito do nosso torcedor”.