O Paraná Clube vai apostar tudo na velocidade de Giuliano, Rodrigo Pimpão e Ricardinho para pôr fim ao sofrimento nessa temporada. É com este trio de frente que o Tricolor entra em campo amanhã, às 19h30, no Mané Garrincha contra o Gama, num jogo “de seis pontos”.

Um resultado positivo pode resultar num distanciamento de até sete pontos para a zona de rebaixamento, a três rodadas do fim da Série B. Por isso, o técnico Paulo Comelli desistiu da idéia de armar seu time com três volantes.

A formatação mais defensiva chegou a ser testada no coletivo de sábado. Mas, após refletir sobre o assunto, o treinador recuou e confirmou o Paraná Clube num tradicional 4-4-2, com a volta de jogadores experientes como Mauro, Agenor, Pituca e Ricardinho.

“Era uma idéia, mas não gostei do time com um trio de cabeças-de-área. Ficamos muito atrás e não é isso que precisamos nesse jogo”, comentou Comelli. Na formação mais cautelosa, Vágner foi escalado no meio-de-campo. “Tivemos dificuldades, principalmente na ligação com o ataque”, reconheceu o treinador paranista.

Pesou na decisão de Comelli o fato do jogo ser no Mané Garrincha, que possui um gramado amplo e que permite o toque de bola.

“É um jogo ideal para o Giuliano. Conversei muito com ele. Trata-se de um bom jogador, que está com a cabeça focada no Paraná. Aliás, ele tem a cabeça muito boa”, elogiou o treinador, rechaçando a possibilidade de que a queda técnica de Giuliano pudesse estar relacionada com o interesse de outros clubes na sua contratação. “Ele fez um grande jogo contra o Corinthians e vai repetir a dose contra o Gama”, aposta Comelli.

Além do retorno ao 4-4-2 (nas três últimas partidas o time atuara com três zagueiros), o Paraná ganha em experiência com as voltas do goleiro Mauro, dos volantes Agenor e Pituca e do atacante Ricardinho.

“É o time que mais vezes jogou neste segundo turno. Então, não há nenhuma novidade nessa formação”, disse Rodrigo Pimpão, recuperado das dores musculares que o tiraram de alguns treinos da semana.

Ele e Ricardinho mostraram boa sincronia nas partidas em que atuaram juntos e é isso que Comelli espera ver em campo amanhã. “É um jogo em que temos que marcar bem, reduzindo espaços e não vacilando nas bolas paradas. Com velocidade, podemos buscar esses três pontos, que poriam fim aos riscos de rebaixamento”, ponderou o capitão Leandro.