Foto: Arquivo

Agora Vavá terá Paulo Welter pra dividir as funções do departamento de futebol tricolor.

Para tentar driblar a crise o Paraná Clube decidiu reforçar seu departamento de futebol. Paulo Welter, após quatro anos, retorna à função de diretor de futebol, como braço direito de Durval Lara Ribeiro na missão de formatar o grupo e arrumar a casa para a missão de retorno à primeira divisão nacional.

Diante do início de competição frustrante, o Tricolor busca um fortalecimento interno, dividindo tarefas no sentido de blindar o grupo e dar a sustentação necessária para o time reencontrar o caminho das vitórias.

?Chego para colaborar. Pela amizade que tenho com o Vavá e pela necessidade do clube de dar a volta por cima?, disse Paulo Welter, que hoje será oficialmente apresentado ao grupo de jogadores e à imprensa. Aos 58 anos, Welter volta a formar uma dobradinha com Vavá Ribeiro. Em 2003, os dois atuaram lado a lado na montagem do grupo que fechou a temporada com a 10.ª colocação da Série A. Na época, o melhor desempenho do clube na primeira divisão e que valeu classificação para a disputa da Copa Sul-Americana.

O cargo de diretor de futebol estava em aberto desde o início do ano. ?Não é fácil tocar o departamento de futebol sozinho. Precisava de alguém ao meu lado?, admitiu Vavá Ribeiro. Ele e Paulo Welter funcionarão como uma espécie de ?pára-raios? nesse momento de instabilidade do time. ?Sei que o perfil desse grupo é bom e eles darão a volta por cima. Assim, assumo essa função para estar presente no dia-a-dia dos atletas, dando ao grupo o apoio necessário para que eles possam desenvolver seu trabalho com tranqüilidade?, explicou Paulo Welter.

Aos 58 anos, o empresário Paulo Welter é conhecido pelo bom relacionamento que possui com personalidades ligadas ao futebol brasileiro, em especial o ex-técnico da seleção brasileira, Felipão. Dono de temperamento explosivo – em 2004 deixou o clube por não concordar com as diretrizes estabelecidas pelo então presidente José Carlos de Miranda -, garante que o momento não é para cobranças fortes e sim para apoio emocional.

?Vi o time nas duas últimas partidas e houve reação. Faltam alguns detalhes para que a campanha do Paraná, enfim, decole?, acredita. ?Sei da responsabilidade de assumir esse cargo num momento como esse. Espero ver todos remando para o mesmo lado. Vamos mobilizar todos, inclusive nossa torcida, nesse objetivo de voltar à primeira divisão, que é o lugar do Paraná?, encerrou o novo dirigente.