O revés em São Caetano do Sul não afetou – ao menos diretamente – a condição invejável que o Paraná Clube apresenta na classificação na Série B. Mesmo com o fim da invencibilidade de seis jogos, o Tricolor mantém uma probabilidade de acesso significativa: 95,8%, segundo o site de estatística Chance de Gol. Uma vantagem expressiva para o América-MG (que tem 8,9%) e é o primeiro time fora do G4.

Apesar dos números expressivos, o técnico Dado Cavalcanti sabe que o time precisa “voltar aos trilhos” no duelo de amanhã, frente ao Oeste, às 19h30, no Durival Britto. A tabela é, aparentemente, favorável. Porém, no 1.º turno, foi exatamente contra esses adversários (Oeste e Paysandu) que o time viveu seu pior momento na disputa, com duas derrotas seguidas. Depois desses deslizes é que o Paraná se encontrou e emplacou uma sequência de nove jogos de invencibilidade. “Temos uma decisão frente ao Oeste. É assim que esse jogo precisa ser encarado”, cravou Dado Cavalcanti, após a frustrante atuação contra o São Caetano.

Na prática, a equipe fez dois jogos ruins, num momento delicado e de muita cobrança por conta dos salários atrasados. “É claro que cada detalhe afeta. Mas espero que tudo seja regularizado nos próximos dias”, destacou Dado. Caso vença os próximos dois jogos, além de manter-se no G4 o Paraná tem grandes chances de ampliar sua vantagem para o pelotão que segue brigando por uma vaga na área do acesso. Pelo menos cinco clubes (América-MG, Icasa, Boa Esporte, Sport e Avaí) estão nessa condição. “Em casa, não podemos vacilar. Esse grupo é muito bom para buscar o acesso”, disse Alex Alves.

O prata da casa é hoje um “reserva de luxo” da zaga, que tem em Anderson e Brinner a dupla titular. Na rodada passada, Alex atuou ao lado de Brinner. Amanhã, volta a formar com Anderson. O Paraná é o único time invicto jogando como mandante nesta Série B. Em dez jogos, são oito vitórias e dois empates.