A derrota para o Londrina, no último domingo, complicou a vida do Paraná Clube no Estadual. Jogando em casa, o Tricolor parecia ter três pontos nas mãos, mas ficou sem nenhum após a virada do Tubarão. Prejuízo que certamente será sentido após a sequência de jogos que o time da Vila tem pela frente.

O Paraná parte agora para três jogos longe de casa. Pelo Paranaense, o próximo adversário é o Iraty, domingo, no interior. No final de semana seguinte, o Tricolor pega o Atlético, na Baixada. Antes do clássico, tem compromisso pela Copa do Brasil, contra o Mixto, em Cuiabá (MT).

O reencontro com a Vila Capanema será apenas 26 de fevereiro, contra o Cianorte, atual vice-líder do estadual. Para chegar lá sem ameaça de crise e de bem com a galera, o elenco paranista sabe que terá que se desdobrar para conquistar pontos em jogos difíceis, fora de casa.

O tropeço diante do Tubarão custou ao Tricolor quatro posições na classificação do Estadual. Em sétimo, com sete pontos, o time agora tem seis de desvantagem para o líder Atlético. E como folga na próxima rodada, a situação pode se complicar ainda mais.

Objetivos

O panorama já faz o técnico Paulo Comelli rever seus objetivos. Antes, a meta era brigar pela liderança e conquistar pontos extras para a segunda fase. Agora, o time trabalha para simplesmente garantir um lugar entre os oito primeiros. “Conquistar a bonificação ficou difícil. Temos que ser realistas e pensar em relação à classificação”, afirma o treinador.

Administrar esta nova realidade não será fácil. Afinal, a equipe fez o necessário para vencer o Londrina, mas teve o triunfo impedido pela arbitragem, que anulou dois gols legítimos do Tricolor. Se tivesse mais três pontos computados, o Paraná dividiria o segundo lugar com o Cianorte.

Por isso, ninguém na Vila se conforma com o resultado do último domingo. “Isso atrapalha muito. Eram três pontos de suma importância. Aí que se vê quanto uma arbitragem interfere no trabalho. Os três pontos que nos tiraram dariam tranquilidade para essa sequência fora de casa”, diz Comelli.

Mas apesar do golpe, entre os jogadores o discurso continua otimista. “Agora temos que recuperar esses pontos fora de casa. A arbitragem prejudicou, mas nós também erramos e temos que corrigir. Vamos com pensamento de time grande. O que importa é vencer”, afirma o volante Agenor.