Muitos torcedores ainda não entenderam a graça de um campeonato por pontos corridos – alguns “especialistas” também. Faltam as finais, dizem, faltam os jogos decisivos.

Uma olhada rápida na tabela do Brasileirão, tanto da Série A, quanto da Série B, mostra que os próximos dias estão repletos de partidas importantíssimas para o Trio de Ferro.

A começar por hoje, com Sport x Coritiba (16h, Ilha do Retiro), Paraná x Brasiliense (16h10, Vila Capanema) e Atlético x Goiás (18h30, Arena). Passar com vitórias por esta semana decisiva é meio caminho (ou caminho inteiro) para nossos times chegarem onde querem.

Na Série A, o Atlético depende das próprias forças para se aproximar da luta pela Libertadores. Joga em casa com o Goiás de Rafael Moura e depois com o Fluminense, no momento vice-líder do Brasileiro.

São duas partidas que vão encaminhar a reta final rubro-negra – ainda mais com uma decisão favorável da Conmebol, recuando da decisão de tirar uma vaga brasileira na competição sul-americana no ano que vem.

Se o G3 voltar a ser G4, o Furacão está na briga com tudo. Se continuar sendo G3, a obrigação é vencer goianos e cariocas pra recuperar terreno na briga. E as duas rodadas são fundamentais para o Atlético porque os times que estão à frente e “ao lado” na classificação encaram desafios complicados.

No domingo tem Grêmio x Cruzeiro, Fluminense x Botafogo e Guarani x Corinthians. E na próxima semana tem Cruzeiro x Atlético-MG, Grêmio x Internacional e Corinthians x Palmeiras.

Se Maikon Leite e Guerrón conseguirem acabar com a má fase do ataque rubro-negro nos jogos de hoje e domingo que vem, o Furacão pode sair inteiro enquanto os adversários podem se complicar.

Carimbo

O Coritiba pode carimbar logo a vaga para a primeira divisão em 2011. Líder absoluto da Série B, com sete pontos de vantagem para os vice-líderes e treze para o quinto colocado, o Coxa precisa vencer três jogos para chegar ao “número mágico” de 65 pontos e se garantir na Série A do ano que vem.

E tem três jogos em oito dias – Sport hoje, Vila Nova na terça e Paraná no sábado que vem, sendo que os dois últimos são no Couto Pereira, onde o time tem 100% de aproveitamento.

Mas Tcheco avisou durante a semana: não adianta contar com o acesso já, é preciso fazer a parte alviverde nos jogos. E o início da série é complicadíssimo – encarando um Sport que sabe da importância de vencer o líder para continuar sonhando com o G4.

Além disso, o Coritiba nunca venceu na Ilha do Retiro jogando por campeonatos brasileiros. Por isso, só uma quebra de tabu mantém viva a possibilidade de fazer festa no sábado que vem, fechando as três vitórias com um triunfo no clássico e subindo para a primeira divisão com sete rodadas de antecedência.

Garantia

Para o Paraná Clube, o objetivo nesta reta final de Segundona é menos nobre, mas importante – neste momento, manter-se na Série B ainda representa a manutenção de um calendário minimamente interessante para a próxima temporada.

A chegada de Roberto Cavalo no comando do time mudou o espírito do elenco – Irineu garantiu, durante a semana, que as coisas mudaram na Vila Capanema. Fruto também da união paranista, que apesar de ser ainda tímida, já rendeu alguns frutos.

Vencer o Brasiliense hoje significa praticamente acabar com o risco de rebaixamento, abrindo onze pontos do rival cand,ango e, dependendo dos resultados da rodada, dez pontos do primeiro time da ZR.

Seria a dose necessária de tranquilidade para jogar os últimos jogos do ano, permitindo que o Tricolor possa focar 2011 – para que os sustos deste 2010 sirvam de lição e não de trailer para a temporada que virá.