Horas depois de a direção do Grêmio anunciar a saída de Paulo Autuori, que deixou o clube após aceitar uma proposta milionária do Al-Rayyan, do Catar, o técnico concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira para explicar os motivos de sua decisão. O treinador afirmou que o futuro da sua família pesou para que ele resolvesse interromper a sua sequência no Olímpico.

“Sempre tive transparência na relação com a direção. Quando houve a situação da proposta, tive a preocupação de imediatamente passar para o Meira (Luis Onofre, assessor de futebol do Grêmio). E essa proposta foi evoluindo. Saio triste por um lado, mas também tenho que ser pragmático, pensar na família. Tenho que tomar decisões”, justificou Autuori.

O treinador ainda admitiu que ficou devendo em sua passagem pelo Grêmio, pelo qual conseguiu um aproveitamento de apenas 46% dos pontos que disputou. “Eu sou o mais crítico possível ao meu trabalho. Saio chateado, pois tínhamos condições de estar mais bem colocados em todas as competições que disputamos. Falhamos e eu assumo esta responsabilidade. Saio com a sensação que de poderíamos ter feito mais”, disse.

Ao mesmo tempo, porém, Autuori prevê um bom futuro ao Grêmio, dizendo que o time só não está em melhor condição neste Brasileirão por ter cometido erros quando estava em processo de crescimento na competição. “Em muitos jogos do Brasileiro atuamos de maneira eficiente no ataque e com consistência na defesa. Erramos nos momentos de dar o salto de qualidade. Mas o Grêmio possui uma base que dá tranquilidade para o futuro”, ressaltou.