Sem papas na língua, o fisiologista Turíbio Leite Barros Netto diz que a recuperação muscular após uma competição dura, como uma partida de futebol, ainda é baseada em mitos. Um deles é o alongamento.

Para ele, o repouso e a reposição de nutrientes perdidos pelos músculos imediatamente após o esforço são meios muito mais eficientes de acelerar a recuperação.

“Toda carga intensa de exercício causa ‘estrago’ na musculatura, que requer de 24 a 72 horas para ser refeita. Se antes disso insiste-se em nova atividade, há uma soma de efeitos e com o tempo se desenvolvem quadros crônicos”, aponta o médico.

Outro conceito arcaico é que a fadiga muscular é causada pelo acúmulo de ácido láctico. Hoje, segundo Turíbio, sabe-se que a substância é metabolizada (eliminada) bem mais rápido que se supunha.

Ou seja, os trabalhos de “desintoxicação” muscular um dia após a partida, por exemplo, são pouco eficazes. Para Turíbio, um dos grandes aliados da recuperação são os suplementos alimentares, que aceleram a recomposição do músculo.

Outra ação eficaz é a avaliação individual dos atletas. Através da medição de enzimas nos músculos, pode-se avaliar como o profissional se recupera após cada treino ou partida. A análise permite dosar a quantidade individual de treino o prazo necessário para repouso antes que haja fadiga ou lesão muscular.

Serviço

O Seminário Cardiologia do Exercício e Reabilitação Pulmonar acontece hoje e amanhã, no Hospital Costantini – Rua Pedro Collere, 890, Vila Izabel. Custo : R$ 20. O evento é dirigido a profissionais da saúde e esportes e conta 3 pontos para a renovação do título de cardiologista pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Mais informações: (41) 3013-9267 e 3013-9294.