A União Ciclística Internacional (UCI) anunciou nesta segunda-feira o primeiro caso de doping na atual edição da Volta da França. O russo Alexandr Kolobnev, da equipe Katusha, testou positivo para a substância proibida hidroclorotiazida.

Segundo a UCI, o teste foi feito com uma amostra de urina recolhida no dia 6 de julho, em um laboratório de Chatenay-Malabry. O ciclista ainda poderá solicitar um novo teste com a amostra B, no prazo de quatro dias.

Apesar do teste positivo, Kolobnev não será punido imediatamente. “As regras antidoping da UCI não preveem uma suspensão provisória, dada a natureza da substância, que é específica”, registrou a entidade, em nota.

“Entretanto, a UCI confia que sua equipe tomará as decisões necessárias para manter a tranquilidade da Volta da França e proporcionar a oportunidade de defesa ao atleta”, completou.

Bart Leysen, diretor da equipe Katusha, afirmou que anunciará ainda nesta segunda a decisão do time sobre o futuro do ciclista na competição. A punição para a utilização de hidroclorotiazida, diurético que pode mascarar outras substâncias, varia de uma advertência até a suspensão por dois anos.