L’viv, Ucrânia – Era o que eles esperavam. A torcida que assistiu ao primeiro jogo do Paraná Clube na excursão à Ucrânia suspirava a cada jogada bonita dos tricolores. Mais que um jogo de futebol, os ucranianos foram acompanhar uma exibição de futebol – que é a expectativa daqueles que irão amanhã ao estádio Ucrânia para a partida contra a seleção sub-21, às 19h (13h em Curitiba). Do lado brasileiro, a intenção é oferecer esse espetáculo, mas mantendo a seriedade e a objetividade.

Esses pontos são vitais para o técnico Caio Júnior, que detectou um excesso de preciosismo na partida de domingo, quando o Paraná venceu o Haletchena por 1 a 0 em Tchernovohrad. “Eu me irritei com a equipe, porque você burila os lances e geralmente acaba perdendo a jogada. Aí nós podemos deixar o adversário empatar o jogo, no caso de ontem (domingo) uma partida que era nossa desde o início”, analisou o treinador.

Caio soma também a dificuldade de adaptação dos jogadores ao esquema usado no segundo tempo, quando o Paraná atuou em um 3-5-2. “Eles demoraram uns dez minutos até sentirem exatamente o que eu queria. Mas, nesse aspecto, é até normal, porque é uma mudança tática grande, e diferente do que eles jogaram nos últimos tempos”, explicou. “Depois a equipe se recuperou e jogou bem”, lembrou.

Mas, se olharmos pelas lentes ucranianas, nem parece que o Paraná mudou o esquema tático ou que enfrentou algumas dificuldades por causa disso. Para eles, foi uma exibição de gala, provada na série de autógrafos dadas pelos jogadores depois do jogo – Maurílio chegou a assinar numa nota de um hrivnia, a moeda local (e que já ganhou o apelido de `grilo’ pelos jogadores). “Nós sentimos que eles gostam de futebol, por isso a gente acaba se sentindo em casa. Se não fosse a dificuldade da língua, nós estaríamos muito mais à vontade”, disse o capitão tricolor.

Folga

A segunda-feira foi quase toda reservada ao descanso dos jogadores. As únicas atividades foram uma corrida pelo parque que fica em frente ao hotel que abriga a delegação tricolor (apenas César Romero, Goiano, Juliano, Dennys, Fabinho e Márcio participaram), uma sessão de hidroginástica e um leve treino para os goleiros. O principal programa foi mesmo assistir à vitória da seleção brasileira sobre a Bélgica, pela Copa do Mundo.