A Uefa abriu nesta quarta-feira um procedimento disciplinar contra o atacante Luiz Adriano, do Shakhtar Donetsk, que na terça-feira marcou um gol contra o Nordsjaelland, pelo grupo E da Liga dos Campeões, num momento em que a equipe ucraniana estava devolvendo a bola para o adversário.

Luiz Adriano é acusado de ter, segundo a Uefa, violado os princípios de conduta estabelecidos no artigo 5 das Regulações Disciplinares da entidade. O organismo acrescentou que o caso será estudado na próxima terça-feira por seu Comitê de Controle e Disciplina.

O artigo 5 das Regulações Disciplinares da Uefa estabelece que os jogadores “se comportarão de acordo com os princípios de lealdade, integridade e esportividade” e inclui entre as atitudes que rompem esses princípios a de “conduzir-se de maneira antidesportiva para levar vantagem”.

O lance aconteceu aos 26 minutos do primeiro tempo da partida disputada no estádio Parken, em Copenhague. O árbitro havia interrompido o jogo quando os donos da casa tinham a posse de bola para que um jogador fosse atendido.

Então o meia Willian, do Shakhtar, deu um chutão para devolver a bola para o Nordsjaelland, mostrando fair play. No entanto, o ex-atacante do Internacional dominou, driblou o goleiro, que ficou parado e tocou para a rede.

A jogada gerou a ira dos atletas da equipe dinamarquesa, que pediram para que os adversários os deixassem fazer um gol. O time ucraniano, no entanto, se recusou a fazer essa gentileza.

Antes da polêmica, o Nordsjaelland vencia por 1 a 0. No fim, porém, o Shakhtar venceu por 5 a 2, com três gols de Luiz Adriano, e garantiu a classificação para as oitavas de final da Liga dos Campeões.