?Um dia difícil para mim, para os atletas e para a França.? Assim, o técnico Roger Lemerre despediu-se da Copa do Mundo, após a derrota da França para a Dinamarca por 2 a 0, terça-feira, em Incheon. O treinador lembrou que o tropeço diante de Senegal, na abertura do Mundial foi decisivo para a desclassificação do campeão do mundo.

?Erramos muito naquele jogo. A derrota na estréia teve influência no resultado final.? Lemerre evitou polemizar a desclassificação da França. Mas admitiu que o impacto do fracasso na Copa do Mundo da Coréia/Japão poderá trazer prejuízos para o futebol da França. ?A Federação Francesa de Futebol terá de fazer uma investigação para descobrir tudo o que foi feito de errado nesta Copa?, afirmou Lemerre, que três meses antes de começar o Mundial havia renovado seu contrato com a FFF por mais quatro anos.

Os jogadores da França deixaram o estádio em um clima de muita tristeza. A maioria dos atletas admitiu que o time entrou para a competição sentindo o desgaste da temporada européia. ?Faltou perna para o nosso time?, disse o atacante Trezeguet. ?E faltou também sorte.

Eu mesmo tive muitas jogadas de ataque, mas a bola não entrou?, comentou o atacante ao comentar o fato de a seleção não ter feito um gol nas três partidas.

O técnico da Dinamarca, Morten Olsen, foi um dos últimos a deixar a área reservada para as entrevistas do time vencedor. Ele não se continha de alegria pela classificação em primeiro lugar do grupo. Enalteceu a união da equipe. ?Esse é nosso ponto forte. Somos um país pequeno, por isso sofremos com a mudança na seleção, como a saída dos irmãos Laudrup. ?Mas montamos uma equipe bem aplicada, com uma excelente condição física?, disse o treinador, que fez um agradecimento aos torcedores da Coréia do Sul. ?Vamos agora para o Japão e esperamos contar com a mesma receptividade que tivemos aqui?, disse o treinador.