Seul (AE) – A atuação da seleção brasileira foi observada de perto pelo auxiliar técnico da Alemanha, Michael Skibbe, o braço direito de Rudi Voeller. Skibbe esteve ontem em Saitama para conhecer, de camarote, o adversário de sua equipe na final da Copa do Mundo. O alemão havia assistido a várias outras partidas neste mundial, mas do Brasil foi a primeira.

A comissão técnica da Alemanha já tem em seu poder as fitas dos jogos anteriores do Brasil, contra Turquia, China e Costa Rica, pela primeira fase, Bélgica, pelas oitavas-de-final, e Inglaterra, pelas quartas-de-final.

Skibbe, o espião oficial da Alemanha, foi jogador profissional nas décadas de 70 e 80 e trabalha na seleção desde julho de 2000 convidado por Voeller para ser seu assistente.

Voeller afirmou que não vai mudar o esquema de jogo de seu time pelo adversário. Mas, por causa da suspensão de Ballack, deve armar um paredão na defesa, uma verdadeira retranca. Seu provável substituto, Jeremies, é típico jogador de destruição. Ruim para o trio Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho.