Jucemar volta hoje à
lateral direita do Coritiba.

Dentro de casa, o Coritiba teve poucas chances de se aproximar dos primeiros colocados do campeonato brasileiro. Mesmo que não tenha condições de subir muito na classificação, a partida de hoje, às 20h30, contra a Ponte Preta, é decisiva para a inclusão alviverde na turma dos ?ponteiros?.

E é uma prova e tanto, pois o confronto é com um dos times de melhor campanha fora de casa.

Até o momento, a Ponte conseguiu cinco vitórias jogando longe do Moisés Lucarelli – uma a mais que o Coritiba. E o time de Campinas é, entre todas as equipes da competição, a que mais se assemelha ao Coxa. “Eles jogam com muita marcação e com velocidade no contra-ataque. Chega a ser um time chato”, resume o volante Ataliba, criado nas categorias de base da Macaca (ver matéria abaixo).

Por isso, o técnico Antônio Lopes já avisou o elenco que o jogo é de extrema atenção. “Se a Ponte está entre os primeiros, e com cinco pontos à nossa frente, é porque tem qualidade. E será uma partida extremamente complicada, porque eles têm um time de forte marcação, e com dois atacantes rápidos, o Júlio César e o Weldon. Sem contar com o Lindomar, que está em uma ótima fase”, comenta o treinador coxa, recheando seu discurso com os detalhes do adversário.

E o Delegado está tão preocupado com a Ponte que realizou dois trabalhos ?restritos? nesta semana – o primeiro foi o coletivo de terça, no Couto Pereira; o outro foi ontem, no CT da Graciosa. Como era um trabalho específico de bolas paradas, Lopes pediu para que os cinegrafistas e fotógrafos não captassem imagens. “Neste brasileiro, estas jogadas estão definindo as partidas, e por isso temos que tomar nossos cuidados”, justifica. A defesa foi a mais exigida no treino, e demonstrou melhora em relação aos últimos jogos. “Já evoluímos, tanto que contra o São Caetano o rendimento nesse aspecto foi bom”, garante o técnico.

Dentro de campo, entretanto, o treinador não faz mistérios. Reginaldo Vital, Aristizábal e Luís Carlos Capixaba, que foram poupados nos últimos trabalhos (os dois primeiros sequer treinaram na terça), estão liberados e vão jogar. “Eu senti algumas dores musculares, mas estou bem para o jogo”, avisa o armador, que terá a incumbência de se aproximar mais de Tuta e Aristizábal.

Além deles, Jucemar volta à lateral direita depois de ficar fora dez dias por causa de uma pancada no tornozelo, e Ricardo substitui o suspenso Adriano. Com quase todos os titulares, Antônio Lopes espera que o time consiga hoje se aproximar ainda mais dos líderes. “Este é o momento em que não podemos perder pontos. Cada resultado é importante, mas este jogo é ainda mais, porque é contra um adversário direto”, finaliza o treinador coxa.

Ataliba joga contra as suas origens

O volante Ataliba enfrenta hoje o time de seu coração. Por mais que já tenha se firmado como jogador do Coritiba, onde atua desde 2000 (com uma interrupção de um ano, quando jogou no Sport Recife e no Vissel Kobe, do Japão), ele tem ligações diretas com o clube que defendeu por dez temporadas – começando quando tinha apenas onze anos.

“É inevitável, porque eu passei toda a minha infância e a minha adolescência na Ponte. Tenho amigos lá e realmente ainda sinto algo especial quando vou enfrentá-los”, comenta Ataliba, um dos muitos ?frutos? da fértil divisão de base do time de Campinas, um dos maiores reveladores de talentos do futebol brasileiro.

Ataliba foi contratado pelo Coxa como promessa – a compra do passe dele foi rateada entre dez conselheiros do clube. Ele começou como titular, mas teve um período de ostracismo e só agora, com Antônio Lopes, firmou-se como um dos principais jogadores da equipe. “É um momento muito bom da minha carreira, porque tenho o apoio do técnico e também da torcida”, festeja.

E isso faz com que o volante, mesmo com um carinho especial pela Ponte Preta, agora defende o Cori de corpo e alma. “Eu tive aqui muitas manifestações de apoio, e também foi o Coritiba o clube que me fez aparecer no futebol brasileiro. Por isso, não posso deixar de ser um torcedor coxa”, resume Ataliba.

Ponte defende posição em Curitiba

Campinas

– Há três jogos sem vencer, a Ponte Preta iniciou a 29.ª rodada do campeonato brasileiro em quinto lugar, com 46 pontos. O seu principal objetivo diante do Coritiba, hoje, é justamente somar pontos para segurar a sua posição, mantendo o sonho de chegar entre os quatro primeiros colocados para disputar a Copa Libertadores em 2005.

A principal arma do técnico Nenê Santana é a força na marcação que, segundo ele, funcionou bem no empate sem gols com o Palmeiras, na última rodada, no Majestoso. Antes disso, a Ponte empatou em casa com o Atlético-MG, por 1 a 1, e caiu diante do Goiás, por 5 a 0, em Goiânia. A última vitória aconteceu em casa, diante do Flamengo, por 1 a 0, dia 18 de agosto. “O importante é reforçar o coletivo, a disposição na marcação e a união do grupo”, diz Santana.

Ele ainda não definiu qual esquema tático vai usar. A sua preferência é pelo 4-4-2, mas admite que pode montar o time no 3-5-2, desde que o Coritiba entre em campo com três atacantes. Em princípio, Zé Maria supriria a ausência de Flávio, vetado pelo departamento médico por uma lesão no músculo adutor da coxa direita. Na defesa, duas alterações já estavam definidas: a entrada de Gustavo na vaga de Luís Carlos, que cumpre suspensão por expulsão, e de Cléber no lugar de Bill, suspenso com três cartões amarelos.

Mas se o adversário confirmar a entrada de três atacantes, o técnico ponte-pretano vai tirar o meia Zé Maria para a entrada do zagueiro Rafael Santos. Esta mudança foi testada no coletivo desta quarta-feira cedo, no Majestoso, último treino antes da viagem, à tarde, para Curitiba. “O time foi bem das duas maneiras. Mas vamos aguardar mais um pouco para definir como a Ponte vai entrar”, explicou Santana.

O meia Danilo, ex-Portuguesa, já está inscrito e deve ficar à disposição da comissão técnica. O último reforço, o atacante Barata, ainda precisará de mais tempo para se recuperar fisicamente. A diretoria ainda não confirmou as esperadas dispensas no elenco, que continua inchado, com 42 jogadores.

CAMPEONATO BRASILEIRO
29.ª rodada
Local: Couto Pereira
Horário: 20h30
Árbitro: Luciano Augusto Almeida (FIFA-DF)
Assistentes: César Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Marrubson Melo Freitas (DF)
Tempo: Encoberto, mas abafado e pouca chance de chuva.
Temperatura: Média de 23ºC durante a partida.

Coritiba x Ponte Preta

Coritiba
Fernando; Jucemar, Miranda, Flávio e Ricardo; Ataliba, Roberto Brum, Luís Carlos Capixaba e Reginaldo Vital; Tuta e Aristizábal. Técnico: Antônio Lopes

Ponte Preta
Lauro; André Cunha, Gustavo, Alexandre e Cléber; Marcus Vinícius, Romeu, Lindomar e Zé Maria (Rafael Santos); Júlio César e Weldon. Técnico: Nenê Santana