Um novo Atlético acorda
e já acumula vitórias

Qual o segredo do sucesso? Foram três jogos e três vitórias e não foram vitórias quaisquer. O Atlético passou por América de Cali, Coritiba e Libertad e voltou a estar de bem com a vida. Desde que Edinho Nazareth chegou, venceu pela primeira vez uma equipe colombiana, conquistou o campeonato paranaense em cima do maior rival e foi a primeira equipe brasileira a vencer fora de casa na Copa Libertadores. Quer mais? O treinador acredita que o time possa melhorar, mas prefere dar um passo de cada vez.

"Não tem segredo e tem muita coisa pela frente ainda. A gente não pode se empolgar muito com vitórias porque na hora que você tiver derrotas também vai ter que ter a preocupação normal e natural", analisa Edinho. Para ele, o que ajuda nesse seu sucesso instantâneo é o elenco rubro-negro. "São grandes jogadores e vitoriosos, sabem que têm a responsabilidade de ganhar e estão concentrados para isso", aponta.

De qualquer forma, ele sabe que ninguém é invencível e o time esta sujeito a voltar a ter turbulências. "Os jogadores estão atentos e isso (as vitórias) é fruto disso tudo, mas, certamente, derrotas virão. A gente tem que saber administrar as vitórias para que também, quando as derrotas vierem, a gente poder sair delas com tranqüilidade", pondera.

Para ver como vida de treinador não e fácil, depois de vencer o Coritiba e passar pelo Libertad em duas competições distintas, agora o Furacão tem que encarar a estréia pelo campeonato brasileiro e nem tempo para treinar os jogadores terão. "Não muda muita coisa. A base vai ser sempre a mesma. A gente não trabalha como, por exemplo, time que ganha não se mexe, e vê o momento, o local da partida, o emocional porque o brasileiro já e outra situação", destaca.

Apesar do pé atrás de Edinho em relação ao sucesso, os jogadores elogiam a postura do novo comandante. "O segredo é a confiança que ele tem passado para os jogadores e nós temos sabido aproveitar e a mostra são os três jogos que tivemos sob o comando dele e tomara que siga sendo assim", opina o zagueiro Baloy. Para o meia Fabrício, que fez uma ótima temporada ano passado, também sob o comando de Edinho, no Brasiliense, acredita que a simplicidade esteja fazendo a diferença. "Ele motiva o jogador, não cobra muito quando a fase é complicada, mas ele deixou a gente bem à vontade e procurou conversar pouco com a gente. O que ele fez foi isso, deu confiança e motivou os jogadores", resume.

Time deverá ter mudanças domingo

Bastou o avião pousar no Aeroporto Afonso Pena para o foco do Atlético mudar quase que completamente. Sai a Copa Libertadores da América e entra o Campeonato Brasileiro. Não seria muito diferente se a equipe que atuou contra o Libertad jogasse também contra a Ponte Preta, domingo, na Kyocera Arena. Mas, não é bem assim e o técnico Edinho Nazareth deverá promover várias alterações na estréia do Nacional.

Além da provável entrada de Etto na ala-direita e de Maciel no ataque, o Rubro-Negro ainda poderá promover as estréias do meia/ala-esquerdo Leandro e do meia Rodrigo, recentemente contratados. ?Isso tudo é possível. Na programação estava para ser feito isso. Vamos esperar a volta para a gente ver como os treinamentos correram no CT do Caju e ver como esses jogadores se comportaram?, revela.

Alem deses, o treinador do Furacão já está pensando mais a frente e quer deixar mais jogadores a postos para qualquer eventualidade. ?Estou pensando em preparar outros jogadores para que posam, não nessa partida, mas que possam ser integrados de maneira definitiva na nossa equipe?, destaca.

A preocupacção de Edinho tem razão de ser. Nos últimos jogos, ele perdeu o zagueiro Marcão, o meia Fernandino e o atacante Aloísio por contusão. E, para ter ?peças de reposição? à disposição, ele integrou todos os jogadores do elenco num só grupo. O antecesor no cargo, Casemiro Mior, dividiu o grupo em dois e trabalhava apenas com o principal, criando uma certa diferenciação entre os atletas.

A definição da equipe para enfrentar a Macaca, domingo, na Arena, às 18h10, sai hoje à tarde, mas o trrabalho não será muito puxado. ?Nao vai dar para fazer treinamento específico como a gente até agora não fez?, antecipa. Ontem, o grupo que atuou a maior parte do tempo fez apenas hidroginástica e sauna e o restante da delegação correu no campo de golfe do Yacht y Golf Club Hotel, na cidade de Lambaré, local de concentração da delegação rubro-negra. O provável time para domingo deverá ter Diego; Danilo, Baloy e Marcão (Durval); Etto, Alan Bahia, Ticão, Fabrício e Leandro; Dênis Marques e Maciel.

Fernandinho ainda não sabe sobre seu corte

O meia Fernandinho, do Atlético, convocado pelo técnico Carlos Alberto Parreira para integrar a seleção brasileira que vai fazer um amistoso comemorativo aos 40 anos da Rede Globo, no próximo dia 27, em São Paulo, deve ser cortado ainda hoje do grupo.

A contusão – entorse no tornozelo do pé esquerdo -, sofrida no primeiro tempo da final de domingo passado, na Arena da Baixada, contra o Coritiba, apresentou complicações e, segundo, a assessoria de imprensa do Rubro-Negro, Fernandinho vai precisar de quinze dias para se recuperar completamente da torção. ?Ele só vai trabalhar com bola, depois destes quinze dias de recuperação?, explicou o assessor atleticano, Toni Casagrande, ontem à tarde.

Com isso, provavelmente, Fernandinho desfalca o Atlético nas duas primeiras rodadas do campeonato brasileiro, além de perder a oportunidade de jogar na despedida de Romário, e se apresentar a Parreira, como candidato a integrar a equipe que vai à Copa da Alemanha, caso o Brasil confirme a vaga na próxima rodada das Eliminatórias, em junho.