Caio Jr. viu “dois jogos distintos” após
rever o teipe da goleada sofrida na Arena.

Os detalhes do jogo final do supercampeoanto paranaense de 2002 já estão definidos e só falta o apito do árbitro Héber Roberto Lopes para o começo do espetáculo. O jogo está marcado para amanhã, às 16 horas, na Vila Capanema. É bem verdade que a goleada de 6 a1 do Atlético em cima do Paraná, que obriga o Tricolor a vencer por no mínimo uma diferença de cinco gols para sagrar-se campeão do supercampeonato paranaense, tirou um pouco da importância da partida. Mas para o torcedor atleticano, o próximo domingo virou sinônimo de festa. E para os paranistas, esperança de um verdadeiro milagre.

No próprio Paraná Clube, todos reconhecem que reverter a situação é muito difícil e por isso mesmo a expectativa em torno da presença do torcedor paranista na Vila Capanema não é das melhores. Mas a despeito dessa tendência, a diretoria do clube decidiu manter o jogo no estádio Durival de Britto, que tem capacidade para 10 mil torcedores, e as cotas de ingressos: sete mil para os paranistas e três mil para os atleticanos. A renda total é do mandante.

Os preços também estão mantidos. Arquibancadas custam R$ 15,00 e mulheres, crianças e menores de 12 anos pagam R$ 10,00. Cadeiras para sócios saem por R$ 15,00 e cadeiras para não-sócios R$ 25,00.

Os ingressos começaram a ser vendidos ontem à tarde. Para a torcida paranista, os postos de venda são as bilheterias de todas as sedes (Vila Capanema, Vila Olímpica e Kennedy). Para os atleticanos, os ingressos estão à venda nas bilheterias da Arena da Baixada, entre 10h e 18h.

Tricolor já tem o 1º reforço no nacional

Talvez para amenizar o astral negativo após a vexatória derrota, o Paraná Clube anunciou ontem a contratação do primeiro reforço para a disputa do Campeonato Brasileiro. O meia Ronaldo chega terça-feira para substituir Marquinhos – que vai mesmo para o Flamengo. O rubro-negro carioca negociou Juan com o Bayer Leverkusen e o clube alemão repassa Marquinhos como forma de pagamento. Isso estava previsto no contrato de Marquinhos com o Paraná, que não pôde fazer qualquer restrição à transferência.

Ronaldo esteve perto de um acerto no início do ano, mas o problema de doping – que custou ao atleta dois meses de suspensão – impediu a negociação. O meia só foi penalizado por erro do departamento jurídico do Botafogo, que não se fez presente no julgamento. Anteriormente, numa situação similar à do lateral Athirson, do Flamengo, Ronaldo havia sido absolvido. Ronaldo da Sil Oliveira, 25 anos, é carioca de Campos e já jogou por Goytacaz, Desportiva-ES e Americano, antes de se transferir para o Botafogo. Seu passe está vinculado ao Americano e ele vem por empréstimo até o fim do ano.

Ronaldo segue com a delegação para a Ucrânia, para a série de quatro amistosos que o Paraná realizará entre os dias 13 e 22 de junho. A excursão está confirmada e até o início da próxima semana o clube define a relação dos 18 atletas que serão utilizados nestes jogos de preparação para o Nacional. Com a antecipação do início da competição para o dia 11 de agosto, o Tricolor redefiniu o período de férias, que será entre os dias 24 de junho e 3 de julho.