O Atlético confirmou o favoritismo e venceu o último clássico do Campeonato Brasileiro de 2018 diante do Paraná Clube por 3×0, na tarde deste domingo (23), na Arena da Baixada. Embate que teve torcida única e que fez a alegria do torcedor atleticano, que compareceu em bom número ao Joaquim Américo. Na verdade, essa sintonia entre torcida e time, independentemente das brigas nos bastidores com a diretoria, fez mais uma vez a diferença para o Furacão emplacar sua oitava vitória seguida dentro de casa na temporada.

+ Leia mais: Veja como foi a vitória do Furacão!

Curiosamente, o último clássico entre Atlético e Paraná pela Série A, em 2007, também aconteceu no dia 23 de setembro daquele, com vitória rubro-negra por 2×1, na Arena da Baixada. A história se repetiu, já que não é de hoje que o Furacão mostra sua força dentro do caldeirão.

Desta vez, o Atlético pegou o Paraná em uma situação mais delicada. O Tricolor, lanterna do Brasileirão e virtualmente rebaixado à segunda divisão, foi alvo de provocações da torcida atleticana neste último clássico da temporada. Além das músicas já tradicionais referentes ao possível rebaixamento do time paranista à segundona do ano que vem, teve torcedor rubro-negro que entrou na Arena com um caixão das cores do rival e também outro vestido de fantasma da Série B.

Tinha atleticano de todas as idades na Baixada. Foto: Albari Rosa
Tinha atleticano de todas as idades na Baixada. Foto: Albari Rosa

Com todo esse clima favorável, o Atlético, em campo, deitou e rolou. Entrou no gramado da Arena, na verdade, com uma motivação a mais. Os jogadores estavam acompanhados de 11 pacientes transplantados para incentivar o Dia Nacional do Doador de Órgãos, que será comemorado nesta semana.

+ Veja: Confira como foi o jogo no nosso Tempo Real!

Com a festa do torcedor e o incentivo incondicional durante os 90 minutos, o Atlético começou a construir a vitória ainda no primeiro tempo, com gols de Raphael Veiga e Pablo. A superioridade do Atlético era tamanha, que aos 6 minutos da etapa final que o Furacão tocava a bola aos gritos de “olé”.

Na verdade, no segundo tempo, a atuação do Atlético não foi empolgante, mas a fragilidade do Paraná impediu que a vitória rubro-negra fosse ameaçada em algum momento. Com o terceiro gol marcado por Marcelo Cirino, já na reta final do jogo, o torcedor rubro-negro foi ao delírio. Boa parte do público presente ligou a luz dos seus celulares em alusão a lanterna que o Tricolor segura neste Campeonato Brasileiro há algumas rodadas. Sobrou tempo também para a torcida organizada Os Fanáticos protestar também contra o presidente Mário Celso Petraglia. Briga que está longe de ter um final nos bastidores.

+ Confira: Veja a tabela e a classificação do Campeonato Brasileiro!

Do lado do Paraná, que especialmente no primeiro tempo, até tomar o segundo gol, conseguiu atuar de forma equilibrada, restou lamentar mais uma derrota. De positivo deste clássico ficou que nenhum incidente foi registrado nas cadeiras da Arena com torcedor infiltrados do Paraná Clube.

Com o possível rebaixamento do Paraná à segunda divisão e com a situação complicada do Coritiba na Série B, um novo clássico paranaense na Série A deve voltar a ocorrer somente em 2020. O Furacão, com a vitória, se afastou bem da zona de rebaixamento e deve, com facilidade, evitar o rebaixamento à segunda divisão.

Petraglia recebeu os empresários portugueses nos camarotes da Baixada. Foto: Divulgação
Petraglia recebeu os empresários portugueses nos camarotes da Baixada. Foto: Divulgação

Visita

Enquanto a torcida do Atlético festejava a vitória, o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Mário Celso Petraglia, recebia na Arena os empresários portugueses Luís Boto e José Marques Pereira. Os dois “visitantes” têm interesse em investir no futebol brasileiro – há dois anos, eles chegaram a conversar com emissários do Paraná Clube.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!