O Uruguai venceu o Paraguai por 3 a 0, neste domingo, no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, e se tornou o maior campeão da história da Copa América. O país festejou o seu 15.º título e ultrapassou a Argentina, justamente o país anfitrião desta edição da competição, que tem 14 conquistas e foi eliminado pelos uruguaios nas quartas de final.

Luis Suárez e Forlán (2) foram os autores dos gols do triunfo do Uruguai, que não era campeão continental desde 1995, quando derrotou o Brasil nos pênaltis, em Montevidéu, na decisão. E os uruguaios não chegavam à final desde 1999, quando perderam para os brasileiros no jogo que valeu o título.

O troféu deste domingo também consolida a grande fase vivida pelo futebol uruguaio, que conquistou a surpreendente quarta colocação na Copa do Mundo de 2010, avançou à final da última Copa Libertadores com o Peñarol e agora festeja o título da mais importante competição do continente. O Brasil, dono de oito títulos da Copa América e que ganhou quatro das cinco edições anteriores do torneio, viu sua hegemonia ser encerrada pelos uruguaios.

A conquista também garantiu ao Uruguai uma vaga na Copa das Confederações de 2013, que será realizada no Brasil e já conta também com a presença garantida do país anfitrião, da Espanha (atual campeã do mundo) e do México (campeão da Copa Ouro).

O JOGO – No duelo deste domingo, o Uruguai foi o senhor das ações em quase todo o tempo e justificou o favoritismo anunciado antes da final diante de um adversário que chegou para disputar o título sem ter conseguido vencer sequer uma partida no tempo normal. Em sua campanha, empatou duas vezes com o Brasil, a quem eliminou nos pênaltis nas quartas de final.

Pressionando desde o início, o Uruguai abriu o placar logo aos 11 minutos. Após bola desviada por um paraguaio, Suárez recebeu pelo lado direito da área, deu um corte em Verón e chutou forte para a bola ainda desviar no próprio Verón, bater no pé da trave direita de Villar e entrar no gol.

O gol foi o quarto de Suárez nesta Copa América, na qual ele terminou como vice-artilheiro, atrás apenas do peruano Guerrero, com cinco bolas na rede.

Suárez, por sua vez, esteve muito presente no ataque durante todo o jogo e por pouco não ampliou o placar aos 24 minutos, antes de dar grande passe para Forlán, aos 32, e ver o atacante chutar em cima de Villar quando estava cara a cara com o goleiro.

Aos 41 minutos, porém, o Uruguai não perdoou. Arévalo roubou a bola na defesa paraguaia e rolou no lado esquerdo da área para Forlán, que entrou batendo de primeira com violência no canto esquerdo baixo de Villar.

Curiosamente, Forlán não marcava um gol desde a Copa do Mundo de 2010, quando foi eleito o melhor jogador da competição na África do Sul.

Na etapa final, o Paraguai chegou a esboçar uma reação ao acertar o travessão logo aos 8 minutos em bonito chute de Haedo Valdez e ainda obrigou Muslera a duas boas defesas em outras duas investidas no ataque.

Porém, o Uruguai era superior e liquidou de vez a fatura aos 44 minutos. Em rápido contra-ataque, Suárez recebeu pelo meio e tocou de cabeça para Forlán invadir livre pela esquerda e tocar rasteiro na saída de Villar: 3 a 0.

Ficha técnica:

Uruguai 3 x 0 Paraguai

Uruguai – Muslera; Maxi Pereira, Lugano, Coates e Cáceres (Godin); González, Pérez (Eguren), Arévalo e Álvaro Pereira (Cavani); Forlán e Suárez. Técnico: Oscar Tabárez.

Paraguai – Villar; Piris, Da Silva, Verón e Marecos; Cáceres (Pérez), Ortigoza, Vera (Estigarribia) e Riveros; Zeballos (Barrios) e Haedo Valdez. Técnico: Gerardo Martino.

Gols: Suárez, aos 11, e Forlán, aos 41 minutos do primeiro tempo e aos 44 do segundo.

Árbitro: Salvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-Brasil).

Cartões amarelos: Maxi Pereira, Coates, Cáceres e Pérez (Uruguai); Vera e Cáceres (Paraguai).

Público e renda: não disponíveis.

Local: Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires (ARG).