Os uruguaios criticaram duramente a atuação do árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci na derrota para o Chile por 1 a 0 nesta quarta-feira, em Santiago, pelas quartas de final da Copa América. As expulsões de Cavani e de Fucile pelo árbitro brasileiro foram questionadas por jogadores e dirigentes.

“A arbitragem foi uma vergonha. A sensação já não é boa com o resultado, mas o juiz intensificou mais esse sentimento. Vamos analisar em detalhes se denunciamos a atuação do juiz”, disse Wilmar Valdez, presidente da Associação Uruguaia de Futebol, na saída do estádio.

Os atuais campeões do torneio pedem punição ao zagueiro chileno Jara, que provocou Cavani antes da expulsão com uma “mão boba”. “Eu vi o que fez o jogador chileno no Cavani. Na verdade, é humilhante, muito pior do que a mordida de Suarez. Literalmente, fez um exame retal. Foi terrível. Não pode ser que isso aconteça”, disse Rafael Fernández, vice-presidente da federação uruguaia.

Cavani ainda vai sofrer sanção automática de uma partida pelo menos que vai ter que cumprir no início das eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Como xingou o árbitro antes de sair de campo, agressão verbal parecida com a cometida por Neymar no jogo contra a Colômbia, o atacante uruguaio corre o risco de pegar um gancho maior.