A crise econômica mundial não parece ter chegado ao US Open, principal torneio norte-americano no calendário do tênis. Nesta terça-feira, a organização do evento anunciou os valores de premiação aos tenistas. As quantias são as maiores da história do esporte.

Somadas, as chaves de simples, duplas e duplas mistas darão prêmios de US$ 21,6 milhões (cerca de R$ 42,3 milhões). Os campeões masculino e feminino de simples receberão US$ 1,6 milhão (cerca de R$ 3,1 milhões) cada. Os prêmios tiveram aumento de 6% com relação aos de 2008.

Além dos prêmios pelo desempenho no US Open, os tenistas continuarão recebendo uma quantia especial pelos resultados na “US Open Series”, um conjunto de dez torneios que antecede o Grand Slam norte-americano. A premiação contemplará os seis melhores tenistas – três homens e três mulheres – dos torneios preparatórios, e será de US$ 2,6 milhões.

O antigo recorde de premiação em um torneio era de US$ 20,8 milhões, em Roland Garros, neste ano. E 2008, o US Open pagou US$ 20,6 milhões. Wimbledon, mais tradicional competição do calendário, distribuiu US$ 20,8 milhões neste ano. O Aberto da Austrália, primeiro Grand Slam do ano, teve premiação total de US$ 18,5 milhões.