Vadão quer preservar seus craques das
botinadas dos zagueiros adversários.

O técnico Osvaldo Alvarez, do Atlético, deflagrou a campanha para a preservação do talento rubro-negro. A meta é proteger o meia Adriano e os atacantes Ilan e Dagoberto das botinadas das defesas adversárias, que estariam “caçando” os mais criativos atletas de sua equipe. Para tanto, o treinador quer que seus jogadores tenham o mesmo tratamento que alguns ídolos do eixo Rio-São Paulo vêm recebendo.

O comandante rubro-negro despertou para a necessidade de as arbitragens serem mais rigorosas com a defesa adversária após ver o meia Carlos Alberto (do Fluminense) ter as faltas sofridas (11 ao todo) contadas por uma emissora de televisão. Para Vadão, todo jogador talentoso merece ter o futebol protegido. No entanto, a mídia nacional não pode lembrar apenas do jogador paulista e carioca, como o próprio Carlos Alberto ou os figurinhas carimbadas Kaká, Diego e Robinho.

“Se estão fazendo uma campanha para proteger o talento do Fluminense, temos que fazer uma campanha para proteger o talento do Atlético também”, dispara Vadão. Segundo ele, a maioria dos árbitros neste campeonato brasileiro está sendo condescendente com os zagueiros faltosos. “O Atlético tem um ataque muito leve e que está sendo caçado em campo”, aponta.

Um dos mais prejudicados com essa “caça”, na visão do técnico, é o atacante Dagoberto. Para ele, as faltas em cima do garoto da seleção sub-20 vêm extrapolando o limite da paciência. “Os zagueiros estão batendo demais e o nosso jogador acaba reclamando. Se os árbitros não apitarem corretamente, fica parecendo que o Dagoberto provoca a arbitragem”, raciocina. O pedido de Vadão é que os árbitros fiquem mais atentos aos jogadores violentos e que coíbam as tentativas de “quebrar” os jogadores talentosos. “Depois quebram o Dagoberto e aí a gente vai apenas lamentar”, completa.

Ao mesmo tempo que pede mais rigor no apito, o treinador começou ontem a trabalhar a equipe para a partida de domingo contra o Flamengo (às 16 horas na Arena). A única alteração em relação ao time que empatou com o Internacional é a volta de Alessandro à lateral-direita. Nas demais posições, o time será o mesmo das duas últimas partidas. Hoje, o treinador deverá fazer o primeiro coletivo da semana no período da tarde.