Sem disputar um jogo sequer do Campeonato Paranaense, o atacante Vandinho está sendo negociado. A sua transferência – por empréstimo – para o São Paulo foi definida ontem à tarde pelo empresário Luiz Alberto Martins de Oliveira. O fato de o centroavante não ter atuado frente ao Rio Branco, no sábado, foi ?a gota d?água? na análise do procurador do atleta. A L.A. Sports detém 90% dos direitos federativos de Vandinho, que, no entanto, permanecerá vinculado ao Paraná Clube.

Destaque do Tricolor na Copa São Paulo de Juniores, Vandinho assinou contrato de três meses com o São Paulo. ?Sei da identificação que ele tem com o Paraná, mas eu não podia abrir mão desta negociação. Financeiramente ela é boa e o jogador terá um crescimento financeiro e profissional?, comentou Luiz Alberto. Vandinho segue na próxima semana para a Suíça, onde o Tricolor paulista disputa um torneio sub-20 junto com grandes equipes do futebol europeu.

Essa competição será, na verdade, um teste definitivo para Vandinho, que teve sua contratação recomendada pelos ?olheiros? do São Paulo, na Copa SP. Para adquirir os direitos federativos de Vandinho, o Tricolor do Morumbi terá que desembolsar US$ 500 mil. Deste valor, o Paraná teria direito a apenas 5%, ficando com percentual igual no caso de uma futura transação envolvendo o atacante. A L.A. Sports, que subsidia a alimentação das categoria de base do Paraná, escolhe anualmente quatro atletas dos juniores, que passam a ter seus direitos federativos divididos meio a meio entre o clube e a empresa.

No caso de Vandinho, o empresário Luiz Alberto pagou mais R$ 200 mil, em janeiro do ano passado, por outros 40% dos direitos federativos do jogador. ?Sempre apostei nesse atleta e acredito que no São Paulo ele vai conseguir mostrar todo seu potencial?, disse. A diretoria paranista acatou a decisão da L.A., mesmo lamentando o fato de Vandinho não ter tido tempo para atuar no Paranaense. Assim que retornou na Copinha, no fim de janeiro, ele foi liberado para um período de férias. Além disso, Vandinho estava se recuperando de lesão no tornozelo. Acima do peso, ele precisou de algumas semanas para entrar em forma e, no último sábado, pela primeira vez no ano, foi relacionado para o banco de reservas.

Paraná pode ficar sem Lombardi nas ?decisões?

O Paraná Clube corre o risco de ficar sem o zagueiro Fernando Lombardi para os jogos decisivos contra Adap e Coritiba. A três pontos de Adap e Roma, o tricolor precisa de 100% de aproveitamento nas rodadas finais e de uma combinação de resultados para avançar às quartas-de-final do campeonato paranaense. Lombardi sofreu fratura de nariz, resultado de uma cotovelada – sem bola -do atacante André Nunes. ?Ele foi desleal, pois eu já havia cortado o lance, quando acabei atingido?, comentou.

O ?xerife? do tricolor não poupou o atacante do Rio Branco – que pertence ao Coritiba – e a imagem do lance deve ser encaminhada ao Tribunal de Justiça Desportiva. Recentemente, o meia Felipe, do Fluminense, pegou 180 dias ?de gancho? por dar um soco em jogador do Campinense, pela Copa do Brasil. ?Creio que deve ocorreu punição, para que lances assim não se repitam?, disse Lombardi.

?Nunca tive nenhuma desavença com ele, mas vários de meus companheiros confirmaram que ele estava entrando de forma dura nas jogadas?, lembrou. O zagueiro levou a cotovelada ainda no primeiro tempo. A preocupação inicial foi com seu olho direito. ?Minha visão ficou totalmente embaçada e ainda não a recuperei totalmente?, disse Lombardi. Os exames oftalmológicos confirmaram que não houve nenhum dano, apenas o trauma decorrente do impacto.

Fernando Lombardi teve que ser substituído no intervalo e somente ao ser encaminhado ao hospital é que se constatou a fratura. Sua presença no jogo do próximo sábado – às 16h, no Pinheirão – é pouco provável. ?Ele ainda sente muitas dores e mesmo com uma proteção não será fácil sua utilização. Um simples cabeceio pode provocar muita dor no local?, comentou o médico Rafael Kleinschmidt.

O técnico Lori Sandri terá outro problema para escalar o time. Com Giuliano suspenso, deve confirmar a volta de Alex à ala-direita. A dúvida maior ficaria no ataque, onde as sucessivas experiências não surtiram o efeito desejado. Sem Vandinho – negociado – as alternativas do treinador são Giba, Wellington Paulista e Marlon, pois Maranhão, o outro atacante do elenco, sequer tem sido utilizado no banco de reservas.