O clichê que diz que clássico não tem favorito pode efetivamente ser jogado para o espaço no que diz respeito ao confronto entre Vasco e Botafogo, nesta quarta-feira, às 19h30, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Não há como negar que o Botafogo é o melhor time, vive momento técnico e emocional infinitamente superior e não tem qualquer pressão para o duelo. Do outro lado, um clube cruzmaltino fragilizado em todos os aspectos e se agarrando a remotas chances de classificação para as semifinais da Taça Rio (segundo turno do Campeonato Carioca).

Com um ponto e lanterna do Grupo A, os vascaínos têm quatro jogos para superar uma diferença de 11 pontos para o líder Volta Redonda, além de superar outros seis clubes na tabela de classificação. Entre eles o Botafogo, que soma seis pontos, mas com cinco jogos restantes.

Claro que favoritismo não garante a vitória. É preciso confirmar a superioridade com a bola no pé. Por isso, o técnico botafoguense, Oswaldo de Oliveira, pediu que seus jogadores não menosprezem o rival, de peso e tradição. “Fala-se muito sobre a ausência de Flamengo e Vasco das semifinais, mas ainda faltam três, quatro jogos e pode mudar tudo”, alertou.

Apesar de pressionados, com o time há quatro jogos sem fazer gols, os cruzmaltinos garantem que não modificaram a rotina de treinamentos. “Não vou fazer nada diferente na véspera desse jogo do que tinha feito antes da partida contra o Olaria. Trabalhamos com muita intensidade esta semana e, até pela ansiedade de ser um jogo decisivo, quero que eles estejam completamente focados nessa partida”, comentou o técnico do Vasco, Paulo Autuori.

O Botafogo terá o desfalque de Seedorf, mais um prejuízo técnico com a interdição do Engenhão. O holandês teria de cumprir suspensão na rodada anterior, mas a partida contra o Friburguense foi adiada para o próximo dia 10. “Se quisermos ganhar jogos não podemos desejar que o adversário esteja mais fraco. Isso é medíocre. Essa coisa não existe. Isso tudo precisa mudar no Brasil”, disse Paulo Autuori, sobre se a ausência de Seedorf era favorável a seu time.

Por outro lado, o Vasco terá Dedé. Depois de ser poupado no treino de segunda, o zagueiro treinou nesta terça, mas continua a reclamar de misteriosas dores abdominais. “Os próximos exames do Dedé ainda serão marcados, mas ele está liberado para o jogo desta quarta-feira”, comentou o médico vascaíno Albino Pinto.

Oswaldo de Oliveira vai promover mudanças no time. No ataque entra Bruno Mendes, ao lado de Rafael Marques. “O Bruno é um jogador jovem, que viveu um momento excelente no ano passado. Ele está se empenhando nos treinamentos”, disse o técnico.