As negociações para a venda do atacante Kléber, do Atlético, para o Tigres pararam ontem. O impasse foi criado devido à diferença de proposta das duas partes. Os mexicanos insistem em contratar o artilheiro apenas por empréstimo, enquanto os representantes rubro-negros querem vendê-lo por cerca de US$ 3,5 milhões. Hoje, numa reunião do conselho deliberativo da equipe azteca deverá definir se a condição imposta pelo empresário Juan Figer e o presidente Mário Celso Petraglia podem ser aceitas ou não.

Segundo apurou a Tribuna, os diretores do Tigres propuseram US$ 400 mil para ficar com Kléber por um ano, com preferência de compra após esse período. Nessas condições, a parte do jogador ficaria em US$ 500 mil. Além do caixa dos mexicanos não estar muito propício a grandes negócios (e, em dólares), existe um receio dos dirigentes do clube em relação à fama de Kléber gostar muito “da noite”. Tanto o presidente Mário Celso Petraglia quanto o empresário Juan Figer trataram de apagar o incêndio, dizendo que tudo não passa de invenção de clubes concorrentes e da imprensa.

Sem Kléber, a opção dos mexicanos pode ser o também atacante Alex Mineiro. Além do futebol japonês, o Tigres também quer o herói do título de campeão brasileiro em seu quadro. Segundo uma fonte da Tribuna, o Tigres já procurou Alex Mineiro em duas outras oportunidades, mas sem sucesso. O jogador foi indicado aos mexicanos pelo meia Irênio, que jogou com ele no América Mineiro e é amigo pessoal de Alex. Mesmo assim, as negociações com uma equipe do Japão continuam e podem ser finalizadas ainda esta semana. O Tigres, desse modo, correria por fora para ficar com ele.

Fabiano

Outro que também está cada vez mais longe da Arena é o lateral-esquerdo Fabiano. O empresário Juan Figer tem o interesse de, se não vender o jogador para o futebol alemão, colocá-lo num clube grande do eixo Rio-São Paulo. Ontem, a direção do São Paulo afirmou ter interesse no jogador para substituir Gustavo Nery, que deverá ser negociado. A definição deve acontecer nos próximos dias. Para continuar no Atlético, Fabiano espera ter seu trabalho reconhecido. Apesar de ter sido campeão brasileiro e titular absoluto, seu salário ainda está muito abaixo de alguns colegas de elenco.