Santos – A expectativa ontem, na Vila Belmiro era grande. Robinho estava de volta ao time do Santos, justamente contra o Corinthians, adversário do qual se tornou algoz. Alguns foram ao estádio para vê-lo, mas a maioria o tratou com frieza. Todos, no entanto, ficaram empolgados com a atuação de um velho conhecido, Giovanni. Com categoria e inteligência, conduziu o time à vitória por 4 a 2. Quem foi à Vila ver Robinho, viu Geovanni. E o Corinthians reclamou, justamente, de dois pênaltis sobre Jô, cometidos por Fabinho e Wendell e ignorados pelo árbitro Edílson Pereira de Carvalho.

Robinho pouco fez. A rigor, se escondeu. Giovanni apareceu. Comandou o time a um triunfo que representou a reabilitação do Santos (foi a 27 pontos), depois de 3 derrotas. O Corinthians (31) tropeçou após 5 vitórias seguidas. E foi mantido o tabu: Robinho jamais perdeu para o Corinthians. Com ele em campo, o Santos tem 8 vitórias e 1 empate – a invencibilidade total é de 11 partidas.

O técnico Gallo, que estava com a corda no pescoço, pôde, enfim, dormir tranqüilo. Deve isso a Giovanni. Não apenas pelos dois gols que fez (o primeiro foi contra de Marinho, mas na súmula foi creditado ao meia), mas, principalmente, pelas grandes jogadas.

Além de uma grande visão de jogo, como no lance do segundo gol. Recebeu de Robinho, deu o ?drible da vaca? em Marinho e, já na área, percebeu Ricardinho livre. Gol.

E olha que o Corinthians não foi mal. Voltou a falhar na defesa, por erros individuais e pela falta de proteção do setor. Mas também jogou um futebol franco e além dos dois gols criou várias chances.

Ficha Técnica

Gols: Giovanni, aos 23? e Roger aos 31? do 1.º tempo; Ricardinho, aos 8?, Giovanni, aos 14?, Rosinei aos 17? e Wendell aos 24? do 2.º. Santos: Saulo; Paulo César (Léo Lima), Rogério, Ávalos e Wendell (Flávio); Fabinho, Bóvio, Giovanni e Ricardinho; Robinho e Frontini (Elton). Técnico: Gallo. Corinthians: Marinho, Betão e Sebá (Bobô); Edson, Mascherano, Rosinei (Dinelson), Roger e Gustavo Nery; Tevez e Jô (Abuda). Técnico: Márcio Bittencourt. Árbitro: Edilson de Carvalho. Cartão vermelho: Edson. Renda: R$ 263.460,00. Público: 15.3673 pagantes. Local: Vila Belmiro.

De bem com a vida e com a vitória

Santos – Robinho entrou na Vila com o sorriso de sempre. Estava feliz. Conseguiu se livrar de um peso e de um desgaste que o fez engordar dois quilos e perder um pouco de massa muscular. Hoje sua alegria vai aumentar ainda mais: o atacante vai ser convocado para o amistoso da seleção contra a Croácia, dia 17 de agosto. Parreira não estava disposto a chamá-lo, mas mudou de idéia ontem à noite. Só há uma chance, pequena, de rever sua posição: um acordo entre Santos e CBF, para preservá-lo.

O craque não estava treinando com o elenco. Passou um mês no sofá de casa e em sessões de musculação. Motivo também que o fez sentir os 90 minutos da partida com o Corinthians. Ele mesmo reconheceu seu condicionamento precário. ?Estou fora de forma, mas espero melhorar agora que voltarei a treinar. Também fui muito bem marcado pelo Betão, que jogou limpo e sem maldade. Mas fora de forma é difícil?, comentou o craque.

O atacante já tem casa em Madri, onde irá morar com os pais e a noiva Vivian. Tudo isso já havia sido providenciado muito antes por seus representantes.