O meia Arturo Vidal vai continuar na seleção chilena. O técnico Jorge Sampaoli resolveu manter o jogador do grupo, mesmo com a pressão de dirigentes e de parte da imprensa do país para que fosse cortado do elenco que disputa a Copa América. “Eu não acho certo condenar alguém por um erro. Todos estamos sujeitos”, disse, no início da tarde desta quarta-feira.

Vidal foi detido na noite de terça-feira, após envolver-se em um acidente de trânsito. O jogador estava sob efeito de álcool, de acordo com a polícia. Bateu sua Ferrari numa estrada nas proximidades da capital chilena, quando voltava para a concentração da “Roja”. Havia estado em um cassino e teria bebido vodka, de acordo com pessoas que estavam no local

Sabe-se que os jogadores da seleção pediram a manutenção de Vidal, mas Sampaoli negou que tivesse levado em consideração a opinião dos atletas. “Não pedimos para os jogadores opinarem para tomar a decisão”, garantiu, constrangido, mas também demonstrando irritação com o questionamento. “Conversei com ele apenas para informar minha posição.”

O treinador fez um alerta, que diz servir para Vidal e todo o grupo. “Para que o Chile tenha possibilidade de conquistar boas coisas no futuro, num meio tão competitivo como o futebol, teremos que focar somente na Copa América.”

Vidal terá de pedir desculpas ao grupo por seu ato. Sampaoli defendeu a decisão de ter dado folga aos jogadores após o empate com o México, algo que não deverá se repetir. “Eu não posso controlar o que os atletas fazem no tempo livre.”

No início da tarde desta quarta, Arturo Vidal, que passou a noite detido, foi liberado após audiência no juizado de Garantia de São Bernardo, na região metropolitana de Santiago. Teve a carteira de habilitação retida e está obrigado a se apresentar mensalmente no consulado do Chile em Milão (ele joga na Juventus italiana). A investigação terá duração de até 120 dias.

No final desta manhã, foi divulgado um vídeo do local do acidente, logo após a batida contra um utilitário, em que Vidal, ao saber que seria detido, disse ao policial com quem discutia: “Pode me prender, mas você vai f… todo o Chile”.