Morreu na noite de terça-feira (13), no Hospital São Lucas, aos 89 anos, Aryon Cornelsen, ex-presidente do Coritiba Foot Ball Club.

O jornalista Vinícius Coelho é autor da biografia de Aryon Cornelsen e lamentou a morte do amigo. “O neto do Aryon me pediu que fosse feito o livro em memória do Cornelsen. Tentamos lembrar as coisas boas que ele fez. Ele fez a festa dos 50 anos do clube e foi muito melhor do que a dos 100 anos que fizeram recentemente”, relatou.

Coelho disse que o legado de Cornelsen é a construção do estádio Couto Pereira. “Ele fazia promoções que lotou o Coritiba de dinheiro. O patrimônio, o estádio, tudo se deve ao Aryon. Ele modernizou o futebol do Coritiba. Foi um homem muito ligado ao clube desde jovem. Implantou profissionalismo no clube”, salientou.

Giovani Gionédis, ex-presidente do Coritiba, lembrou da revolução que Aryon promoveu no Alviverde. “O Aryon participou de um Coritiba que não tinha estádio, não tinha nada. Ele foi uma das grandes personalidades na história do clube. Nesses 100 anos ele tem boa parcela de contribuição”, resumiu.

Gionédis queria erguer um busto em homenagem a Cornelsen e ao ex-presidente Evangelino da Costa Neves, na época vivos, mas foi impedido. “Nem quero tocar muito neste assunto, mas após a morte é fácil homenagear. Tinha que ser feito em vida”, argumentou. “Foi um homem de destaque no futebol paranaense. Ele tem grande parcela na história do futebol”, concluiu.