Foto: Valquir Aureliano

O goleiro do Ipatinga se adiantou nas três cobranças e o assistente não perdoou.

Taís? Final de novela? Que nada! Quem foi ao Couto Pereira ontem viveu muito mais emoções do que qualquer folhetim da Rede Globo. Foi para matar torcedor do coração e lavar a alma de quem foi ao Alto da Glória, que numa noite só viu o time ser mais líder do que nunca na Segundona e ainda bater o recorde de público do ano no Estado do Paraná. E com direito a gol chorado após quatro cobranças de pênalti, já no tempo complementar e numa marcação duvidosa da arbitragem. E daí? A vibração no Alto da Glória foi a mesma com o 1 a 0 sobre o Ipatinga.

Quando o técnico René Simões pediu paciência para a torcida ele já sabia o que o esperava em campo. A segunda colocação do Ipatinga não era à toa e os mineiros ainda vinham de cinco jogos sem tomar gol, numa arrancada impressionante na Segundona. Em campo, o Tigrão mostrava porque estava no encalço do Alviverde nas últimas rodadas da competição. Depois de um ímpeto inicial do Coxa num arremate de Keirrison, só deu Ipatinga. O time mineiro passou a dominar completamente as ações e só não chegou com mais perigo porque não finalizou tanto.

Foto: Valquir Aureliano
Ânderson Lima precisou de muita confiança para encarar o goleiro Fred por quatro vezes.

No entanto, quando chutou a gol obrigou Edson Bastos a fazer boas defesas e quando o arqueiro não segurou, a bola bateu na trave. O sempre atuante Keirrison ainda tentou outra estocada, mas a defesa espanou. Com o sufoco tomado, René resolveu mexer por atacado para dar um sopro de vida ao time, que já vinha aceitando demais a predominância do Tigre. Com Marlos (no lugar de Hugo, opção tática) e Ivo (na vaga de Túlio, machucado) em campo, o time ganhou criação ofensiva e mais marcação pelo lado direito do campo.

Com as mudanças, o Coritiba passou a pressionar. A torcida já esperava a vitória, mas o tempo foi passando, o Ipatinga foi se defendendo como podia e segurando o resultado como dava. Quando Ricardinho arriscava, Fred espalmava. Quando Marlos tentava, Fred estava lá. Não restou a René alternativa a não ser colocar Gustavo para tentar um cabeceio, mas ele errou a única chance clara. O resultado parecia ser definitivo e o atacante ainda foi expulso após agredir o adversário, para piorar a situação.

A partida ganhou toques dramáticos. O Coxa dominou e passava a ser pressionado justo nos acréscimos. A derrota seria um castigo, mas num contra-ataque, Ricardinho recebeu, entrou na área e esbarrou no marcador. Na frente do lance, Cléber Wellington Abade marcou pênalti. Depois das reclamações habituais, Ânderson Lima foi para a cobrança e Fred espalmou. O bandeirinha acusou a adiantada a mandou o lance voltar. E não é que na segunda vez Fred se adiantou de novo. E na terceira vez também. Inédito, incrível, inacreditável. E o árbitro mandou cobrar de novo e o mesmo Lima manteve a personalidade e fuzilou, para acabar com a brincadeira e decretar a festa no Couto.

Sem pestanejar, Lima aceitou o desafio

?Parecia que tinha saído um estádio todo de cima das minhas costas.? A declaração é do líbero Ânderson Lima, que riu de nervoso com tantas cobranças de pênalti e chorou de emoção com a conquista do Coritiba ontem no Couto Pereira. Cobrador oficial da equipe, ele segurou a responsabilidade de repetir as cobranças e não largar a bomba na mão de nenhum companheiro. Apesar do drama, ele garantiu a suada e chorada vitória por 1 a 0 sobre o Ipatinga e justificou o posto de principal líder do Alviverde na campanha da volta para a Série A.

?Liderança não se compra em nenhum lugar, você conquista e mais uma vez eu tenho conquistado o meu espaço e tido uma felicidade muito grande de participar de um grupo como esse?, comemorou Lima. E um pouco da liderança dele está na sinceridade como ele trata todos os assuntos, inclusive os pênaltis de ontem. ?Se ele não tivesse anulado o primeiro pênalti eu nem iria perceber que o goleiro tinha se mexido, tamanha era a concentração. Nos outros pênaltis também eu nem vi?, revelou.

E mais. ?A gente começa a ficar naquela adrenalina e ao invés de ficar bravo, estava dando risada, porque toda hora vinha um e perguntava se eu estava bem para bater o pênalti, se eu não queria deixar um outro bater?, destacou. Mesmo assim, para ele, o final acabou sendo muito feliz. ?Pelo momento que temos vivido, a gente tem se aplicado muito e quero frisar que não são só os 11 jogadores, o grupo tem se mostrado altamente profissional e está trabalhando em busca do objetivo?, apontou.

Trabalho

Hoje, quem atuou na partida de ontem faz um trabalho regenerativo enquanto os demais atletas fazem um trabalho físico e técnico. Amanhã, o grupo trabalha no gramado do Couto Pereira e já embarca para o Ceará, onde na terça-feira enfrenta o Fortaleza. Para essa partida, Lima e Gustavo, suspensos, estarão de fora.

CAMPEONATO BRASILEIRO – SÉRIE B

27.ª Rodada

Coritiba 1 x 0 Ipatinga

Coritiba

Edson Bastos; Henrique, Ânderson Lima e Jéci; Túlio (Ivo, 1 do 2.º), Veiga, Douglas Silva, Ricardinho e Diogo; Keirrison (Gustavo, 36 do 2.º) e Hugo (Marlos, 1 do 2.º).

Técnico: René Simões.

Ipatinga

Fred; Márcio Gabriel, Léo Oliveira, Duílio e Beto; Henrique, Leandro Salino, Augusto Recife (Luciano Sorriso, 31 do 2.º) e Gérson Magrão; Adeílson (Diego Silva, 26 do 2.º) e Alessandro (Diego, 37 do 2.º).

Técnico: Émerson Ávila.

Local: Couto Pereira em Curitiba

Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP)

Assistentes: Alcides Zawaski Pazetto (SC) e Claudemir Maffessoni (SC)

Gol: Ânderson Lima aos 55 do 2.º tempo

Cartão amarelo: Túlio, Ânderson Lima, Ricardinho, Augusto Recife, Henrique

Expulsão: Gustavo aos 45 do 2.º tempo

Renda: R$ 398.360,00

Público pagante: 26.129

Público total: 28.446